terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Poderia



Alguma vez,em alguma ocasião da sua vida,  teve alguêm que fizesse pensar, como poderia ter sido?

Eu tive.
Ele esteve uma segunda vez á minha frente.Sorria como um adolescente.Ainda tinha os mesmos olhos alegres e joviais de outro tempo.Aquele sorriso charmoso e brilhante que enche uma alma.Os cabelos suavemente compridos, como sempre os tivera.O tom de pele que convida á vida....ainda era lindo.
Almoçamos frente a frente.
Conversa banal de tudo e de nada.
Sorrisos cumplices.
Olhares penetrantes.
Minha mão debaixo da dele. O toque,o calor da pele que queima de desejo ao fim de tantos anos.
Uma paragem momentanea de palavras,e...sem porquês...silenciosamente olhando bem dentro dos seus olhos eu questionei-me...talvez tivessemos sido felizes,talvez sim,talvez não,quem saberia dizer...?
Sem porquês,senti ele apertar mais a minha mão e dizer-me olhando no fundo dos meus olhos;
- Eu teria sido... se tivesse ficado contigo...




sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

A vida já me ensinou




A dizer adeus às pessoas que amo, sem tirá-las do meu coração.

 Sorrir às pessoas que não gostam de mim, para mostrar que sou diferente daquilo que   elas pensam(bom...confesso que ainda é um pouco difícil...)

 Fazer de conta que tudo está bem quando isso não é verdade, para que eu possa
               acreditar que tudo vai mudar.

 calar-me para ouvir, aprender com meus erros.
                                                        Afinal eu posso ser sempre melhor.

 A lutar contra as injustiças, sorrir quando o que mais desejo é gritar todas as minhas                            dores para o mundo.

 A ser forte quando aqueles que amo estão com problemas.

                      Ser carinhosa com todos que precisam do meu carinho.

                                           ouvir a todos que só precisam desabafar.

 Amar incondicionalmente,pois tambem eu preciso desse amor.

                                   Perdoar incondicionalmente, pois já tive que ser perdoada.

Acreditar que ainda é possivél reencontrar-te no tempo,pois eu ainda preciso de ser encontrada.

     E o mais importante ser   Corajosa.

.
                                                                                                               

                                                                       ( Pensamento da autoria de Charles Chaplin suavemente  alterado  por mim)

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Amizade

Quem tem um amigo, mesmo que um só, não importa onde se encontre, jamais sofrerá de solidão; poderá morrer de saudades, mas não estará só.
Amir Klink

O amigo é a resposta aos teus desejos. Mas não o procures para matar o tempo! Procura-o sempre para as horas vivas. Porque ele deve preencher a tua necessidade, mas não o teu vazio.
Khalil Gibran



                                       "Quero ser tua amiga. Nem demais e nem de menos.
Nem tão longe e nem tão perto.
Na medida mais precisa que eu puder.
Mas amar-te sem medida e ficar na tua vida,
Da maneira mais discreta que eu souber.
Sem tirar-te a liberdade, sem jamais te sufocar.
Sem forçar tua vontade.
Sem falar, quando for hora de calar.
E sem calar, quando for hora de falar.
Nem ausente, nem presente por demais.
Simplesmente, calmamente, ser-te paz.
É bonito ser amigo, mas confesso é tão difícil aprender!
E por isso eu te suplico paciência.
Vou encher este teu rosto de lembranças,
Dá-me tempo, de acertar nossas distâncias..."



terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Não me acordem....



Há dias em que a inspiração teima em não aparecer... no entanto cresce em mim sempre uma enorme vontade de escrever. Sentada na varanda, olho para a folha branca que tenho à minha frente. O lápis de ponta mordiscada devido à ansiedade passeia por entre os meus dedos. Levanto-me e descalça caminho no chão frio, para trás, para a frente...
Não faço barulho,estão todos a dormir.
 O frio do chão em nada ajuda.Apenas me acorda para a realidade.
 Talvez um pouco de música consiga despertar  alguma inspiração. Por entre os papeis em cima da mesinha lá encontro os meus phones.
 De volta á folha branca, de phones nos ouvidos e olhos fechados, deixo que os acordes das minhas musicas favoritas despertem em mim algum tipo de reacção. Mas nem a musica  foi capaz de me ajudar nesta súbita falha de imaginação.
Fecho os olhos neste silencio,respiro fundo e aprecebo-me que  o céu tornasse de um rosa acinzentado e sei que mais um dia está para nascer.
Sento-me então na cadeira de baloiço e deixo-me ficar apenas a assistir a mais uma alvorada,sem me mexer,sem acordar o vazio,sem escutar a vida.....Apenas e somente absorver mais um belo momento....em que os pássaros acordam.
Mas a eles, faço um sinal,shiuuuuuuuuu.......... para que só hoje....não me acordem....

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

História XII





Rendo-me.....sento-me e deixo-me ficar apenas a observá-la...
Catarina....
Braços abertos........o silêncio,o vento e ela perto do céu,quase como que a tocá-lo....outra vez....

Catarina corre de um lado para o outro.O fato de treino que veste,os ténis que calça,o anorake que abtoa até ao pescoço.
Onde vais....?Não! Outra vez.... não!-"Deixa-me!responde-me Catarina.
Espera...estou cansada...deixa-te ficar....-"Sabes como sou e hoje apetece-me.Fica aí se quiseres...Eu vou!
Corro atras dela de um lado para o outro...
Catarina,obstinada sempre faz aquilo que lhe apetece.
Os phones,a chave de casa no bloso,a fita no cabelo e lá vai ela.
A porta bate e eu a seu lado procuro tentar desfazer-lhe o pensamento...porêm é inutil!
Apanha o elevador e carrega no botão que a conduz ao ultimo andar.Sobe  o resto a pé.
Abre a porta... e fecha-a devagar quase silenciosamente para que ninguêm dê por isso.
Espera....tens a certeza?-"Claro!diz-me.
Do outro lado há um pequeno terraço.
Catarina abre a janela empoleirasse na mesma e.... Salta!

Por favor....estou tão cansada....não vás...-"Impossivél!Já cá estou, como vês!Deixa-te de lamurias e anda ver o céu.
Como está lindo hoje!
Não há nuvens!
 Este pedaço de céu dá-me liberdade!
O Sol que me banha dá-me vida!
Eu preciso viver!!!

Rendo-me.....sento-me e deixo-me ficar apenas a observá-la...
Catarina!Braços abertos........o silêncio,o vento que sopra e ela mais perto do que nunca, do céu....
Catarina....não te esqueças...não consegues voar....
Mas ela já não me escuta....

Catarina já escuta nada.Dentro dela vive o momento.O momento é sublime,só escuta o som que carregou nos seus phones que a levam a viajar e não deixa que nada o complique.
A vida é feitas de momentos....sejam eles sublimes ou não.
 Que simplesmente a fazem perder o ar, e fazem todos os seus sentidos ficarem leves, que invade seus braços, seu peito, de uma forma inevitável.
Catarina deixa que esses sim, tomem  conta do meu mundo, assim como a luz na sua velocidade invade a escuridão e torna tudo vivo e com cor.
Catarina sente que tudo o que está oculto dentro dos seus olhos se revela e eu.... vejo o sol ou sei lá que astro celeste surgir de dentro deles.

Rendo-me.... e deixo que me vá aquecendo, me queimando ou poderia dizer que fundindo toda minha insegurança escondida atrás do meu controle e  transformar em vontade de  arriscar mais uma vez....
Digo-te Catarina.... que é  todo esse  Amor que dás....,que é como um remédio que te cura,ao mesmo tempo que  dilacera, destrói e aniquila toda minha teoria oposta ao amor. E é esse teu olhar sobre tudo e todos que agride toda minha decepção, aquela que já tive por outras vezes com esse tal de amor....
Mas é aí que tu jogas na minha cara....-" Vale apena arriscar tudo outra vez, só o que, já é esperado em sonho...pode voltar....






segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Tempestades





Às vezes enfrentamos tempestades que nem esperavamos,nem nos imaginavamos encontrar no meio delas.
E somos forçados a combate-las,tentando afastá-las para, o mais longe, de dentro de nós própios.
É como um vendaval de poeira que às vezes se forma em redemoinhos e depresssa corremos para fechar as portas e as janelas, mas sempre acaba entrando alguma poeira.
E nesse exacto momento temos uma necessidade enorme de limpar tudo novamente.
È nesse momento que percebo que mesmo tentando têr tudo organizado e no seu devido lugar,existe sempre  alguma situação que vai bagunçar tudo...virar tudo do avesso novamente.
Vai desorganizar,vai desestabilizar,vai dissolver....vai-me absorver totalmente.
Pode sempre existir uma coisa ou situação que vai bagunçar tudo cá dentro.
E lá vou eu novamente  arrumar tudo de volta e colocar tudo no seu devido lugar!
Mesmo em mar alto e revolto,na embarcação que é a minha vida,eu avisto ao longe a luz do farol que me guia.
Sinto que ainda sou vulnerável a certas coisas, dentro de mim mesma... Mesmo que eu organize e deixe no lugar daqui a algum tempo,já  pode, não estar mais!!
Somos sujeitos a certas coisas da vida...
Vai sempre existir coisas que eu posso evitar..mas tantas outras que simplesmente entram sem terem que bater a porta e mesmo  fechando as portas e janelas elas invadem e infestam tudo cá dentro....
A única coisa que me resta é voltar e reorganizar tudo.
Sendo assim, é um ciclo vicioso na  minha vida.
Mas o que sinto mais preocupante é a espera que faço de mim mesma todos os dias ,no mesmo cais....

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Canção ao Vento






Da Moon ao  Vento...

Se o vento falasse, ele sussuraria com  seu sorriso aos meus olhos, e levaria meu recado aos seus ouvidos.
Se o vento falasse, eu seria iludida por seus contos de amor como uma criança que acredita em histórias de encantar.
Haveria de ter uma só palavra…
Bastaria uma só palavra para traduzir o que os olhos não vêem – seu perfume.
Poderia ser uma brisa a me embalar ao som do balançar dos seus olhos. E se o vento falasse, ele iria compor uma canção em seus lábios para mim.
E se o vento pudesse, destilaria sua vida em versos, poesia e canção só para me ouvir gargalhar.
Se eu soubesse cantar,sussuraria ao vento que desbravo horizontes por um fiapo raro de oxigênio.
Se eu soubesse cantar ,mostrava-lhe que estou presente na quietação das sombras quando ele dorme,na esperança de que a alvororada se torne radiante.
Se eu soubesse cantar,entoaria minha voz para lhe dizer que guerreio em sorrisos com meu coração,por o vêr bater novamente.
Se eu soubesse cantar,cantar-lhe-ia dizendo, que o  desespero da minha solidão,abriu-se em céus de multiplas cores e já não têm a menor importancia.







segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Já não sou Eu

                     


                     

Da janela fechada.
Do silêncio instalado.
Do vazio que me cerca.
As estrelas que cintilam no negro manto azul sobre mim, mostram um pouco do seu brilho, agora tão fraco....
Ventos sopram em meus ouvidos é a cançao de uma noite solitária onde sempre me perco na melancolia furiosa da escuridão.
 Num súbito silêncio ouço as batidas do meu coração frio, com carência de algum calor. Pensamentos fluem numa tentativa em vão de calar os acordes da ventania na minha cabeça.
As árvores parecem querer assustar-me com seus rugidos majestosos.
 Não há lua, o que realça as trevas da noite. Mas já nada me assusta mais.
 Arrepios provocados insanamente mergulham-me na questão de que distante talvez esteja o dia em que terei você ao meu lado para me proteger destas noites frias.
Como um fantasma arrasto-me na noite,neste palácio feito de nadas.
A tua êssencia para mim já não é nada.È dolorosa a dôr de vêr o meu corpo entregue a ti ,sem alma....
Já não habitas dentro de mim...hoje eu queria poder sair,sentir a chuva cair no meu rosto,molhar meu cabelo,limpar cada parte do meu corpo tocada por ti.
Hoje eu queria cada sensação esquecida,arrancada de mim.
Sinto que ao viver em torno da mentida,já morri...

        Talvez a razão pela qual todas as portas estejam fechadas
        É que eu possa um dia abrir uma que me leve para a estrada perfeita.








sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012



Nos dias frios e solitários,nesta sociedade sem bússula onde cada um de nós se interroga sobre o sentido da sua propia vida.
Vamos contando histórias...belas como o vôo da emoção,que nos torna tão leves e por vezes tristes.
È aí que a minha inimiga entra,sem bater á porta...a outra metade de mim...E deixa entrar quem eu já fechei numa gavetinha...daquelas várias que temos dentro de nós.
O que faço...?
Sempre a faço recordar que jamais deixarei uma ferida fechar, promovendo a abertura constante da mesma.

P.S. Hoje aceitariasse material de primeiros socorros :) !!!

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

A espera


A definição da palavra esperar é ficar em algum lugar até que chegue alguém ou alguma coisa que se tem como certa ou provável; aguardar. Ter esperança. ter satisfação em acreditar, Confiar.
Mas não será que demoramos tempo demais na nossa espera?

Esperamos tempo demais por aquilo que não deveriamos esperar...?
Esperamos por tudo e por nada.E sem nos apercebermos esperamos por aquilo que já foi esperado antes e continuamos á espera...
Esperamos que o tempo melhore,que faça Sol ou Chuva,que a fila de carros ande,que seja a nossa vez em qualquer sitio.Esperamos que amanha seja um dia melhor,que tenhamos tempo de encontrar algo ou alguêm, que nos faça sorrir.Esperamos por um Amor que já não é possivél,por outro que nem sabemos se vêm...
Esperamos tanto que nem damos conta do tempo que passa por nós enquanto nos entretemos a esperar por tudo e por nada...
E num dia qualquer numa hora indefinida,num tempo que acabou de passar...sentimos e tomamos noção que tudo passou por nós e estamos envelhecendo.
Penso que o mal é estarmos sempre á espera de algo e saindo constantemente do sitio e da ocasião.
Esperar deveria ser ficar em algum lugar até que chegasse o que estamos á espera,não seria mais certo assim...?
 Ninguêm pede algo ou marca com alguêm num lugar e depois vai para outro....mas com o pensamento isso não acontece...passamos a vida a correr de um lado para o outro e nunca estamos no sitio certo, na hora certa, no momento certo...
E quando esperamos demais...esqueçemo-nos de lembrar que tudo já passou....
E no entanto, consciente de que o tempo já  foi embora ....
... ainda continuo á  espera....


quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

A MIragem

A vida muitas vezes trata-nos mal....porêm tambem apresenta supresas e alegrias momentâneas e inesperadas.....

A Miragem
Vinicius de Moraes



Não direi que a tua visão desapareceu dos meus olhos sem vida
Nem que a tua presença se diluiu na névoa que veio.
Busquei inutilmente acorrentar-te a um passado de dores
Inutilmente.
Vieste – tua sombra sem carne me acompanha
Como o tédio da última volúpia.
Vieste – e contigo um vago desejo de uma volta inútil
E contigo uma vaga saudade…
És qualquer coisa que ficará na minha vida sem termo
Como uma aflição para todas as minhas alegrias.
Tu és a agonia de todas as posses
És o frio de toda a nudez
E vã será toda a tentativa de me libertar da tua lembrança.
Mas quando cessar em mim todo o desejo de vida
E quando eu não for mais que o cansaço da minha caminhada pela areia
Eu sinto que me terás como me tinhas no passado –
Sinto que me virás oferecer a água mentirosa
Da miragem.
Talvez num ímpeto eu prefira colar a boca à areia estéril
Num desejo de aniquilamento.
Mas não. Embora sabendo que nunca alcançarei a tua imagem
Que estará suspensa e me prometerá água
Embora sabendo que tu és a que foge
Eu me arrastarei para os teus braços.