sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012



Nos dias frios e solitários,nesta sociedade sem bússula onde cada um de nós se interroga sobre o sentido da sua propia vida.
Vamos contando histórias...belas como o vôo da emoção,que nos torna tão leves e por vezes tristes.
È aí que a minha inimiga entra,sem bater á porta...a outra metade de mim...E deixa entrar quem eu já fechei numa gavetinha...daquelas várias que temos dentro de nós.
O que faço...?
Sempre a faço recordar que jamais deixarei uma ferida fechar, promovendo a abertura constante da mesma.

P.S. Hoje aceitariasse material de primeiros socorros :) !!!

2 comentários:

Fê-blue bird disse...

Minha querida amiga:

Tivesse eu cura para essa ferida!
Não tenho e sei que demora a fechar.

um beijinho para ti

Jacarée e Baby disse...

Querida Moonlight

Temos que enfrentar as agonias, quando o coração derrama angustias...nos devoram como se fossem fantasma
Há que arranjar força para suportar tanta vicissitudes da vida
Talvez a razão pela qual devemos abrir excessoões de deixar as portas abertas.
Deixo um beijinho no seu coração.