sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Follow the Sun

Inventores com imaginação
Existe com cada uma....


Quantas vezes já se levantou a meio da noite para ir à casa-de-banho ou para ir à cozinha beber ou comer alguma coisa? Estou certo que já foram algumas. E já pensou no incómodo que é andar à procura dos interruptores sem saber se irá tropeçar em algo. Esses tempos já acabaram... Agora com os chinelos com luz acabaram os tropeções a meio da noite... Veja onde pões os pés e dê passos seguros com esta extraordinária invenção. Um VIVA aos inventores!!!!!

Confesso que não preciso de uns chinelos assim.
Continuo a preferir deslocar-me totalmente ás escuras e de vez em quando assistir ao vivo a uns certos sustos de ficar com os cabelos em pé!!!
:)))
Aproveito para agradeçer a todos, os carinhos que me deixaram no post anterior.

" Cada novo amigo que ganhamos no decorrer da vida aperfeiçoa-nos e enriquece-nos, não tanto (só)pelo que nos dá, mas pelo que nos revela de nós mesmos "


Fonte: "O Segredo da Vida"
Autor: Unamuno , Miguel

                         Bjs meus a todos cheios de Luar e um optimo fim de semana!


quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Um aparte...nada mais


Se neste preciso momento me preguntassem que sentimento tenho por ti....de certo que responderia com exitação.
È dificil e deveras complicado de exprimir aquilo que fazes questão que eu sinta...
Tenho pena....tanta pena....tanta tristeza de sentir forçosamente o que queres que eu sinta....
Acho que é apenas isso que consigo ao certo sentir...Tristeza....Muita tristeza....
Quarentas anos de vida em comum e seres assim como és para comigo....
Estou triste sim...muito...muito...triste...
Tenho na garganta um nó que não se desfaz...uma dor que controlo... incontrolavelmente,sem que ninguêm se apreceba....
Não costumo escrever sobre ti,mas afinal o que eu hoje escrevo é apenas e somente sobre mim...é a maneira de eu chorar em silencio...e saber no fundo que vou receber palavras que me vão aquecer o coração que gelou...uma vez mais....
Não é nada!
Amanhã...já passou.
Vou uma vez mais guardar esta tristeza dentro daquela gavetinha que tenho no meu coração.Aquela gavetinha onde tenho as outras magoas guardadas...mas só aquelas...que vêm de ti...
Já não tenho palavras para te dizer..apenas a  tristeza plantada no meu olhar.
Mas se te dissesse algo hoje,apenas te diria...Quando amamos o fruto do nosso ventre, não magoamos assim... constantemente.
E amanhâ...amanhã é outro, novo dia.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Lua cheia de Agosto

No meio da singela conversa,tocou-lhe no rosto e disse-lhe;
Por muitos anos que passem jamais me hei-de esquecer de ti!Nunca!
Catarina sabia-o...
Nunca o esquecera....nunca iria esquecer os verdadeiros momentos de um Amor proibio e verdadeiro.
Sem exitação respondeu-lhe;
Eu sei....tambem nunca esquecerei....
O dialogo continuou no meio da conversa banal, que algumas vezes, como aquela ainda mantinham,apesar de na realidade se ausentarem deles propios e voltarem aos sitios secretos onde era costume se encontrarem no passado.
Uma vez mais ele misturou as palavras...
Tenho saudades...nossas
Eu...tambem...
Suavemente,como era seu hábito,ele pediu-lhe,
Decifra-me a tua saudade....
Sem mais palavras disse-lhe com um simples sorriso no rosto...

Para mim a saudade,que por muitas vezes sinto, designo-a, pela lágrima que fica semi presa no canto do meu olho...entre as minhas pestanas, e o replandescente sorriso que me ilumina o rosto...é aí que mora a minha saudade de ti...

Ele sorriu...,
E uma vez mais o tempo demorou a passar nos seus olhares....
Ao fim de um certo tempo,despediram-se como dois simples amigos e seguiram o seus caminhos oposto, até um proximo dia que houvesse um tempo a mais, para de novo se sentarem na esplanada e conversarem como dois singelos amigos.
Nos olhos deles,nos pensamentos....recordavam-se sempre....com muita saudade e alegria.
Sempre.... enquanto ele,por vezes cantarolava uma certa melodia....

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

O meu lugar

         Somos nós que conduzimos o barco ou simplesmente seguimos 
                               a viagem  como uns meros passageiros?

                                  “Aquele que é feliz espalha felicidade.

                        Aquele que teima na infelicidade, que perde o equilíbrio
                                     e a confiança, perde-se na vida”
                                                                                      Anne Frank


Tive já muitos medos.Confesso.Já tive muito medo na minha vida.Medo de não conseguir.
Medo de falhar.Medo da dôr fisica(pânico).Medo dasminhas emoçõesMedo de estar sosinha em casa á noite.Medo de estar acompanhada.Medo de não conseguir superar problemas impossiveis de resolver.Uma doença incuravél.Com uma inevitável imobilidade que me pudesse paralisar os movimentos para sempre.
Medo,medo,medo....
Depois de ter sido Mãe,á medida que os anos foram passando na minha vida,os meus medos tornaram-se menos fisicos e materiais e passaram a ser mais imaterializáveis,menos papavéis.
Agora tenho menos medos,mas mais receios.
Receio de perder a minha filha.Receio da minha finitude.Receio de assistir ao partir dos meus pais.
Mas depois de um tempo conturbado na minha vida consegui ter o poder de criar e alterar a minha propia vida.
De criar o que me acontece.Logo passei a controlar os meus propios receios.
Sou eu propia que conduzo o barco da minha vida,não deixando que meus pensamentos me levem para os receios e ao contrario me conduzam á esperança.
"Ninguêm fez de mim nada.Eu é que fiz,faço e farei de mim,tudo.Aquilo que eu sou é pois aquilo que eu me faço"-Jean-Paul Sartre.
De facto ninguêm pode escolher por nós e se isso acontece é porque escolhemos não fazermos escolhas.
Os receios que sentimos são nada mais nada menos que receios projectados.Receios ou Medos que nos levam a ser prisioneiros não deste tempo,aqui e agora,mas do futuro.
Prisioneiros de futuro.
Por antecipação,vivemos em função daquilo que nem sequer sabemos se será assim ou não.
Esse futuro acontece sempre nas coisas mais simples.
Então ai temos que decidir se comandamos o barco da vida ou simplesmente deixamos- nos conduzir por ele.
A escolha é apenas e unicamente nossa.
E quando assumi o comando,senti que meus medos dissiparam-se,pelo menos aqueles receios que não me deixavam vontade de seguir em frente.
Hoje em dia tenho a consciencia que consigo isolar os meus receios,como pensamentos maus que eu não quero que façam parte da minha mente.Como sonhos maus que atormentam as nossas noites.Simplesmente isolo,assim como tudo aquilo que não merece fazer partedas coisas boas da minha vida.
Mas confesso,que apesar da minha força positiva...tambem tenho alturas que desfaleço e que regrido em tudo....Mas porêm tenho a consciencia disso e volto a mim, ultrapassando esses momentos que por vezes ainda me ausento de mim mesma....

terça-feira, 10 de agosto de 2010

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Anjo

Um Anjo....
Simplesmente um Anjo...
 Quando te vi pra mim sorrindo,
Percebi que eras o Anjo
O Anjo enviado...
E na tua voz, nas tuas palavras
Tudo me parecia de outro mundo.
Um mundo bem diferente do meu.
Sempre sonhei com esse mundo!
E deixei-me vagueando.... distraída...
Num mundo bem oposto ao meu.
Mas cansada... ferida....
E temerosa quanto á vida.
Deixei-me apenas a vaguear nesse mundo...
Pois quando voas-te, Anjo meu...
Não pude sentir o gosto
Desse mundo que era,somente teu.

(Hoje neste post meu,qualquer semelhança é mera coincidência.)

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Palavras soltas ao Vento

Há caminhos que nos levam a tantos sítios...

Há palavras que nos magoam e outras tantas que nos enaltecem...
Há implusos que nos ditam sentenças...
Há momentos que nos plantam sorrisos e sensações de que já nem nos lembravamos....
Hoje senti vontade de gritar...soltar palavras ao Vento...
Em desabafo...
E já nem me importo se alguêm as encontrar...
Porque já é só de saudade que visto o meu pensar...
Quando tenho que á realidade voltar.
Sem sequer, de ti, ter que me despedir....

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Quando vejo o teu sorriso

Mamã....
Sim,filha.
Mamã....hoje é noite de Lua Cheia...?
É sim, filha.
Mamã...?
Diz filha...
Mamã...existem sereias,a sério...?
Não filha!
Só no mundo da fantasia.
Ufa!!!
Porquê filhota...?
Porque se existissem mesmo sereias elas hoje tinham que se esconder,por causa da Lua Cheia.
Então e porquê...?
Porque se a Lua as atingir....a cauda delas transforma-se em pés....e se elas não souberem nadar...
...morrem!...
.........................................
Mamã....?
Sim...
Tens a certeza que neste mar,não existem sereias?
Não filhota,não existem mesmo sereias.
De verdade.

Conversa entre mim e minha filhota,numa das noites de nossas férias, enquanto, na varanda  apreciavamos a Lua Cheia.
São estes momentos simples,que vividos e recordados nos dão força para seguirmos em frente e acreditar que valerá sempre a pena Sonhar....Mesmo que tudo não passe duma mera Fantasia.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Não desistas de mim...


 


Acordei...Sentei-me na cama.
Devagar...sossegadamente sem fazer barulho.
E foi então que me deixei ficar a apreciar Catarina. Abriu a janela sem medo de fazer qualquer ruido,pois sabe que não pode ser escutada a não ser por mim mesma...saindo para a varanda na madrugada suave e pacífica que se saboreava com paz de espirito...
Como é bom escutar o barulho do mar e sentir a sua maresia entrar por nós, adentro.
Dizem que de noite o mar dorme e se torna silencioso...é mentira ele está lá balançando e rebentando suas ondas na areia da praia,que dia dia se enche de pessoas.
Agora neste momento é apenas de Catarina.
Lá está ela sentada no seu cadeirão de verga fumando o seu cigarro e assistindo a mais um amanhecer...mas daqui deste 10º andar com vista sobre o mar é mais belo e fantástico.Têm de certo uma beleza própia e admiravél.
Gosto sempre de poder admirar Catarina no seu refugio, na madrugada, enquanto todos dormem...
Em Catarina existe muito de mim,mas muito mais daquilo que fui um dia...
Catarina é mais determinada e poderosa,é mais bela quando ninguêm olha para ela,têm na sua mente o poder de se lançar para o desconhecido e apostar.
Eu já desisti do jogo á tanto tempo, que nem sei...nem ao certo qual foi o momento que deixei de apostar e tornei-me perdedora.
Por vezes quando fico apenas observando Catarina,consigo olhar para trás,mas não consigo apontar ao certo o momento em que minha vida mudou e seguiu outro rumo.
Apenas sei que aconteceu num instante,num milésimo de segundo.
Cheira a mar salgado e a maré baixa.
Catarina perde-se como o fumo do seu cigarro...na linha do horizonte,em seus pensamentos mais profundos.
Será que tambem ela já desistiu...?
De repente uma gaivota passa em voo á frente do seu rosto,erguendo-se nos ares,pairando sobre ela.
Assustando-a!
As suas asas são enormes e Catarina estende o braço parecendo que lhe vai tocar,o vento que provoca sente-se no rosto.Paira no ar bem perto de Catarina por uns instantes e nesse instante estão unidas no tempo e no espaço.Existe um momento de compreençao entre elas...mas, então, antes de conseguir defenir esse momento,ele acaba.
A gaivota eleva-se e desaparece com ele.
Catarina fica especada,estupidamente e finalmente capaz de respirar,mas incapaz de se sentar novamente...como se tivesse acordado de um sonho.
Assustada...
Levanto-me e inclino-me no varandim...olho o meu mar já iluminado pelos raios fracos do meu Sol e contemplo tudo como se não tivesse visto ainda nada.
Como se da primeira vez se tratasse desde que aqui estou,conhecendo-o de alguma forma.
E sei tão bem quanto Catarina que temos ambas de voltar á realidade.
Simplesmente,não passou de um momento.
Catarina...
Não desista de mim....