quinta-feira, 28 de abril de 2011

Amor Persistente



Foi mais facil fugir ao que sinto por ti....
Do que ganhar coragem e dizer-te que ainda gosto de ti e sempre te amei....




Um dia mais tarde,vários anos depois de um amor eterno e sem contratempo que acabou mas sempre permaneceu a esperança,encontraram-se por acaso num sitio comum.Sorriram,olharam-se nos olhos e ele acabou por dizer..."já foste minha namorada..." ela sorriu e respondeu..."pois fui..."ele colocou as mãos nos bolsos e sorriu uma vez mais...
Trocaram numeros de telemoveis e promessas.
Durante uns meses a conversa era sempre alegre e agradavél,o tempo rumava como o vento na vela de um barco...,a favor.
Encontros marcados e desmarcados...
Mensagens escritas com palavras cheias de estrelas e luares,palavras magicas.
Um dia, foi o dia prometido,anunciado...
Ela esperava-o ansiosamente e ele chegou! Abriu a janela do carro e com um sorriso nervoso disse..."entra!"
Os olhos foram os primeiros a beijarem-se, depois, rosto no rosto e o toque suave e saudoso de uns labios quentes.As palavras essas vieram devagar nervosamente de ambos os lados e seguiram seu rumo com conversas banais e descompassadas.
No restaurante,frente a frente os olhos denunciavam algo mais....que os actos escondiam...brindaram,"para matar saudades..." disse ela,divertida e feliz.Observam-se em silêncio,com tanto para dizerem.Ele estendeu a mão e afagou a dela entrelaçando os seus dedeos nos delas e beijando-a delicadamente.
Sem palavras para exprimir a perplexidade, sopesando os anos que passaram sem se verem,recordando aquela altura em que não havia mais nada,mais ninguêm,para eles,senão os dois,ela teve vontade de lhe dizer o quanto ainda o amava,mas remeteu-se apenas ao silêncio,a um leve e dócil sorriso.
Falaram apenas deles,das suas vidas,do que fizeram,do que andavam a fazer,puseram a conversa em dia como se o tempo não tivesse passado.
Sairam de maõs dadas com muito mais por dizer...conversaram no trajecto até  casa dele. E no elevador a vontade dele foi arrebatadora...ela voltou a sentir aqueles braços fortes e grandes em seu redôr...como antes...protegendo-a de tudo e de todos.Sentiu os seus lábios quentes num beijo ardente e demorado...e sem demora envolveu-o e retribui da mesma forma.
Existem momentos eternos que jamais esquecemos e jamais morrem.Perduram por toda a etrenidade se buscando mutuamente,mesmo que a vida  separe.
Entregaram-se um ao outro como nos velhos tempos...viveram por horas o amor que os unia por uma eterenidade.E voltaram a ser um do outro,voltaram a ser felizes.
Enquanto descansavam,lembraram velhas hitórias,os amigos, o porquê do fim...a idade em que pensavam que tinham tudo nas mãos e os levou a cometer actos involuntarios.... deixaram-se seduzir pelo momento...e quando deram conta já estavam vivendo vidas opostas.
Despediram-se com um leve beijo,com uma promessa de se tornarem a encontrar em breve,sabendo ambos que não era para cumprir,que isso provavélmente não aconteceria....
Separam-se no parque de estacionamento,foram cada um para seu lado.Estava a chover forte e ela subiu as abas do casaco,encolhendo-se afastou-se a correr em direcção ao carro.
Ele, sem pressa,permaneceu com o carro parado,olhando-a.Só depois de a vêr entrar para dentro do carro arrancou.
Ela sentou-se,trancando o carro e vendo-o afastar-se...ficou a meditar no encontro,no delirio que ele lhe provocou,espantada com o amor que ainda existia dentro do peito dela,no seu coração.Recordou como esse amor nunca lhe saiu da cabeça, como o amor que lhe tivera ao longo desses anos todos,como se lembrava dele,tal e qual como no passado, quando se lembrava dele por tudo e por nada,a todas as horas do dia.Como vivera com ele uma entrega total e como tudo é efémero até o amor vivido com uma entrega total.
Sobressaltou-a uma leve nostalgia...
Poês o carro a trabalhar e arrancou a sorrir sozinha,desconcertada disse para si propia em voz alta..."eu te encontrei!Agora sei porque quando á anos atraz eu olhava nos teus olhos e sentia um conforto...um lugar seguro."
Todos nós, mesmo sem nos lembrarmos, voltamos á terra para resgatarmos algo.
Ela podia ter-lhe dito mas....
Foi mais facil fugir ao que sentia por ele....
Do que ganhar coragem e dizer-lhe que ainda gostava dele e sempre o amou....

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Evolução





 Têm vezes,na vida, que eu me sinto como uma linda borboleta....

Autotransformação,clareza mental, novas etapas, liberdade, renascimento. A borboleta representa os ciclos da vida, movimento e mudança. Elas possuem um período curto de vida. Elas nos preparam para mudanças e progressos. Quando você se sente estagnado e incapaz de se mover, a evolução entre em cena e lhe dá a força necessária para iniciar as mudanças. O medo é normalmente o maior obstáculo para as mudanças.

A borboleta sai da segurança de seu casulo para se deparar com um novo mundo em sua nova forma confiando em suas asas frágeis em um vôo ainda desconhecido.Insatisfações com sua vida, com relacionamentos e crises lhe forçam a tomar atitudes e promover mudanças radicais. A borboleta lhe trás a mensagem para você se preparar para as mudanças antes que elas caiam sobre você, sem aviso. Lembre-se que em todo fim há um novo começo.
Evoluir não é querer ser a borboleta sem ter sido a larva mísera e preta, é atravessar o lado escuro e nascer como o lírio perfumado e puro. É dia após dia renascer, é tropeçar nas faltas e ressurgir dos erros praticados, é prosseguir, cair e outra vez erguer. Evoluir é depurar a alma cativa, é lapidar a pedra rude e viva, dar-lhe a aresta, o brilho e o destino. Evoluir é retirar lições das dores, dos espinhos retirar as flores, e do erro, o máximo de ensino.
Desde a primeira vez em que perdemos uma parte da nossa alma (não tendo a mesma regressado), continuamos na busca incessante, dessa preciosa parte de nós; e enquanto não a resgatamos, vamos atraindo os mesmos acontecimentos e repetindo traumas semelhantes - as vidas vão mudando, as pessoas vão mudando, mas as histórias repetem-se.(autor desconhecido)

                                                     Voltei!!!

















segunda-feira, 18 de abril de 2011

Utopia


Vivo como se, ao fim do dia, pudesse pousar-me no teu peito e desocupar a cabeça de tudo e todos.
 Olho para o lado, a cama está vazia....
 Não faz mal...
 Volto a fechar os olhos e imagino.
 Imagino e adormeço...




sábado, 16 de abril de 2011

(...)


"Cada um de nós é como um livro... Que guarda sua própria história, com início, meio e fim...Nosso corpo é só uma casa onde a alma habita e a morte é o último vôo de nossa alma... Que parte por não caber mais nessa casa, como se quisesse começar uma nova história, um novo livro.
Cada minuto que passa pode ser tudo que me resta para viver,mas eu desperdiço o tempo como se ele fosse infinito.Penso, logo sei que existir é uma circunstância. "

Elizabeth Jhin







quarta-feira, 13 de abril de 2011

A velhice tambem é bela!


                         "Um dia descobrimos que não nos transformamos em quem sonhávamos ser
                                                              e isso não tem nada de errado... "
 



Por Hilda Lucas

A juventude é uma vertigem. As cartas ainda não foram dadas, os dados não foram lançados. O leque das possibilidades é imenso e sedutor. Somos fortes, belos e não temos medo da morte por isso sonhamos o impossível, o improvável e o utópico. Benditos sejam os dias e os anos da nossa juventude: eles nos dão uma dimensão de poder e invulnerabilidade que nunca mais teremos.
Eternos sempre serão os dias e os anos da nossa juventude porque o tempo não existia. Tínhamos tanto tempo que desperdiçávamos ou desdenhávamos das horas como se elas fossem inesgotáveis.
O tempo não era contado muito pelo contrário, na nossa avidez de tudo sentir e viver, queríamos que ele voasse. As horas não eram preciosas pois não eram raras, nem caras. Intactos sempre serão os dias da nossa juventude: só então fomos eternos.
Às vezes nos lembramos daquela arrogância maravilhosa e sentimos saudade da experiência da plenitude bruta e gratuita, do vigor físico e do idealismo heróico. No entanto, não conheço nenhum "adulto" razoavelmente bem resolvido que quisesse voltar a ser jovem - a não ser ter "juntas e vista" de jovem como diria João Ubaldo.
Descobrimos que se não somos especiais como pensávamos ser isso não é triste nem nos transforma em perdedores. É só vida real. Descobrimos que se não somos geniais ou revolucionários somos nossos próprios heróis. Descobrimos que não transformamos o mundo mas tocamos pessoas. Descobrimos que o possível é mais complexo que o impossível porque o possível está à nossa frente não no mundo das idéias. Descobrimos que o projeto de paz mundial não é viável sem paz interior. Descobrimos que mesmo sem prêmios nóbeis, fortuna ou fama nos realizamos em profissões e atividades comuns e isso não tem nada a ver com mediocridade.
Não somos o avesso do jovem que fomos: somos quem pudemos ser e se fazemos o nosso melhor, se lutamos com coragem nossas pequenas lutas, se defendemos com dignidade nossas bandeiras, se amamos com generosidade nossos amigos, pais e filhos, se respeitamos nossos semelhantes e a nós mesmos somos com certeza especiais, de um jeito muito real.


               "Um dia descobrimos com serena maturidade que não nos transformamos
                     em quem sonhamos ser na juventude mas em alguém muito melhor..."


quinta-feira, 7 de abril de 2011

Nunca voltes ao lugar onde já foste feliz

Capela-do-Sr-de-Pedra-em-Miramar-Vila-Nova-de-Gaia

Nunca voltes ao lugar onde já foste feliz....
Há pessoas que entram na nossa vida de surpresa, da forma mais inesperada. Foste um desses casos - a coincidência levou-te a abrir a porta e a entrar. Enquanto dela fizeste parte, gostei muito da companhia. Mais do que esperava vir a gostar. Não sei se algum dia percebeste, ou sequer suspeitaste a dimensão dos meus sentimentos por ti. Nunca te disse nada nesse sentido; sabia que o sentimento não era recíproco. E sabia que, a prazo, acabarias por sair da minha vida da mesma forma que nela tinhas entrado. Não me enganei em nenhum daqueles pensamentos, ainda que a forma que a saída tomou  tenha sido algo inesperada. Hoje, por motivo nenhum em particular, lembrei-me de ti. Pensei em dizer-te algo. Um simples "olá". Não o fiz. Nem o poderia fazer.Foi um Verão apenas um doce e simples Verão.
Nunca voltes ao lugar onde já foste feliz....

"(...)Por grande a tentação que te crie a saudade
Não mates a recordação que lembra a felicidade
Nunca voltes ao lugar onde o arco-íris se pôs
Só encontrarás a cinza que dá na garganta nós."
                                                                Rui Veloso

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Primeiro Amor



                         Um primeiro Amor pode não passar nunca....
                                                                                   .....mas acaba sempre.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

há cá com cada coisa....



Estes rapazes cheiram mesmo mal! A palavra banho não está presente no seu dicionário. Desconhecem a definição de higiene pessoal e adoram esfregar o seu mau cheiro no nariz dos outros. 




-Mãe!Mãe!Olha aqui há aqueles bonecos que eu quero....!
Quase que arrastada lá fui eu pela mão da minha filha vêr os ditos bonecos malcheirosos.
-Mãe...compra!Compras mãe.Elas sabem tão bem como nos levar á certa!
-Espera!Primeiro deixa-m.........NEM PENSES!
Vocês imaginam quanto custa um pacotes com um boneco malcheiroso...?
Ah pois é....agora até o mal cheiro se faz pagar bem....10 euros,mais propiamente dito 9.90euros.
-Nem penses filha!Gastar 10euros por uma coisa mal cheirosa....
-Mas ó mãe......
Deu-me uma vontade imensa de rir e disse-lhe para finalizar a nossa conversa;
-Quando quisseres um mau cheiro eu levo-te a passar por aquela ribeira e olha que é de graça!

No meu tempo não havia nada disto...........

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Delirio



Nunca fui o que quis e sonhei ser (contigo)....

Pudesse o mundo,o espaço,a atmosfera transformar a nossa vivência
E aí seriamos duas almas que se encontraram após tanto e tanto  tempo de procura...uma eternidade(diria)

Mas...nunca fui o que quis e sonhei ser (contigo)...

Na minha absoluta ignorancia sobre determinados assuntos
Sonhei...
Reconheci-te...
E terei deixado tu partires de mim...mesmo sem teres permanecido...
Fecho os olhos cansados deste Sol que me ofusca
Desnudo o meu sentir,nas horas solitárias descubro que poderia ter deixado tanto de mim que te fizesse voltar para me resgatares deste mundo meu.

Encosto-me,remexo o corpo exausto e adormecido daquilo que um dia me deste a provar
Nunca mais consegui voltar a sentir....
Deixei o meu corpo dermente de ti..(.para ti)....

Mas....conscientemente sei que nunca fui o que quis e sonhei ser (contigo)...

Fecho o livro onde rasurei tantas palavras que nada mais significaram,que apenas e somente meras palavras,onde vidênciei a minhas ilusórias memorias...de ti.

Nunca saberei se fui o quis e sonhei ser (contigo)...

Abro meus olhos e (re)vejo-te por entre o ar abafado da noite adormecido no meu peito...no meu coração....no meu delirio...