terça-feira, 30 de novembro de 2010

Novembro...

Não sou fada,mas vivo num conto.
Às vezes, digo-me que sou ainda criança
Que importa os meus anos....
O feitiço que me lanças-te foi enorme
Tocou no meu peito
E deixei que fizesse enfeito
Agora só resta a lembrança
Não sinto mais o teu amor
 Vivo sem pisar no Amor, como que  levitando.
Gostaria de me tornar  fada
Neste conto que perdeu
Todo o seu encanto.

                                  Moonlight

Dizem que a lua cheia de Novembro, é a Lua do Castor

As armadilhas para o castor eram colocadas durante esta altura,antes que as aguás congelassem e assim houvessem peles em abundancia para os meses frios que se avizinhavam.
Para algumas pessoas a Lua do Castor é a ultima oportunidade para fazerem alguma coisa que quiseram fazer mas adiaram,antes que o peso do Inverno se abata sobre elas.

....Há uma promessa de felicidade algures por aí.
Sei que sim.
Por vezes,consigo senti-la.
Mas é como tentar agarrar a Lua,quando penso que a vou apanhar,ela desaparece no horizonte.Fico desgostosa e tento seguir em frente,mas depois a malvada regressa na noite seguinte,dando-me de novo esperança de a conseguir agarrar....

                                                Como foi que te perdi,ao longo do caminho....? 





quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Por uma boa causa.

È Natal!
Nota-se isso nas ruas já enfeitas e reluzentes..
Nota-se isso no trafego intenso, que já se sente mais.
Nota-se no frenesim em que as pessoas precorrem as lojas ao fim de semana.
E com muita pena minha,que apenas seja no Natal...
Nota-se nas campanhas de angariações de fundos,para tantas causas justas e necessarias.
 Apesar deste ano ter notado que se estendeu um pouco ao longo do mesmo,apesar de superficialmente.
Continuo a perguntar-me...Porquê só no Natal...? 
Será que apenas uma vez no Ano as pessoas são mais humanas e sensiveís,a estas causas?
Sinceramente penso que devemos agradecer por o fazerem.Mas não nos devemos esquecer nunca, que o Ano têm 365 dias e todos esses dias deveriamos dár o melhor de nós, sempre.E nunca nos devemos esquecer dum bem essencial...
                                    ...........O Amor ao Proximo!
Por isso,hoje post no meu Luar mais uma oportunidade de ajudarmos e colaborarmos tão rapidamente a mais uma causa;

Ajuda de berço
Atravéz de um simples clic estamos a ajudar e se possivél,visto que hoje em dia todos nós fazemos parte de uma rede social"Facebook"Podemos repassar esta mensagem e angariar mais fundos.




Operação nariz vermelho

Uma causa que a mim muito me diz e acho que com alegria podemos ajudar muito e podemos dentro de nós descobrir o significado tão simples e grandioso de um gesto magestoso que é um Sorriso!




Descubram que ao longo do Ano e não só no Natal podemos ajudar muito e muitas vezes com coisas muito simples.
                             A todos vós o meu Obrigada!!!


terça-feira, 23 de novembro de 2010

Toco em teu pensamento...?











Às vezes,questiono-me...

Se ... de vez em quando...ainda toco o teu pensamento....

Talvez eu descanse...

Entre o têr querido ficar
Mas têr simplesmente  partido...
Na tua pele quente,
No teu abraço que era presente
 E sempre urgente em mim...

Mas eu só tinha para te oferecer

O tudo de mim (quase nada)
E o meu amor por ti...



sexta-feira, 19 de novembro de 2010

A noite passada

             
           O sonho da noite passada, tornou-me a falar de ti.....

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

A morte...









                                               " Deus te quer sorrindo"

                                                                mas se você chorar,

                                                            Ele te quer assim mesmo.



A morte...
Aquilo que sabemos que está certo em nossas vidas,apenas não sabemos quando.
A morte...
O que aceitamos e sabemos que é apenas uma passagem.
A morte....
Quando ela passa perto de nós,quando ela vêm para aqueles que amamos,que são nossos amigos,que poderiam até ser os nossos.
A morte....
A morte anunciada... veio,chegou.
Costumavas-me tratar por filha,eu era mais ou menos isso para ti,afinal de contas,o meu verdaeiro pai têm menos dois anos que tu tinhas.
Juntei-me á "nossa" familia como sempre e juntos caminhamos no teu adeus.Não te vê-mos mais fisicamente,mas espiritualmente estarás sempre perto de nós,eu sei e eles tambem.
È-me tão estranho ultimamente assistir á partida fisica daqueles que me são tão proximos.
Nunca tive medo da morte,nunca me fez confusão,mas hoje em dia deparo-me constatemente com ela,parece que tudo está a chegar ao fim.
Um dia destes...serão os meus...nem quero pensar.
Engraçado....ao mesmo tempo,enquanto me despeço...vêm-me á ideia de quantas vidas nascem naquele preciso momento ...enquanto fechamos as portas da tua moradia eterna.Quando tudo se resume apenas ao fim.
Recordei a minha primeira deparação com a morte....apesar das memorias da minha infancia terem partido,com a terapia de sono a que fui sugeita á muito anos atras,lembro-me...a mãe da minha madrinha....
Nunca fui poupada,como agora nós poupamos as nossas crianças,aos velórios,aos funerais,eu assiti sempre a todos, com os meus pais.Talvez por isso a morte nunca me fez confusão,ou impressão.
Aliás sempre achei que era um momento de paz,tranquilidade, um sono profundo...
Lembro-me do pequeno bouquet de rosas brancas que depositei em suas mãos,alguêm o ajeitou depois,não sei...não me recordo.Apenas recordo aquela imagem...deitada,serena,bonita como era,parecia que dormia um sono profundo.
Mais tarde lembro-me que foi a vez do meu querido avô,que passava as tardes dele a jogar dominó comigo.E sempre que vinha o mês para junto de nós trazia-me broas de mel e as primeiras uvas do ano,para a sua menina.Como eu gostava dele.Teria os mesmos anos que minha filha,depois.morreu quando eu tinha 9 anos.
Disso eu recordo-me bem.A capela em que ficou era bela,a igreja situava-se no cimo de Alenquer,vila velha,era bela,linda e eu corria entre os colaustros abafando a minha dôr,sem ninguêm se apreceber ou notar em mim.
Lembro-me que estava muito triste e sabia que não o voltaria a vêr.
Durante uns anos,sempre que ia ou ficava alguns dias em Alenquer,com meus tios,passava grande parte do tempo sentada a conversar com ele no cemiterio...nunca ninguêm o soube.
Estou de luto uma vez mais...e recordo-me de como é penosa a morte para nós.A saudade que fica em nossos corações,apesar de acreditar que um dia nos voltaremos todos a encontrar...e sorriremos de novo.
Mas sempre que a morte nos "bate á porta" eu recordo aqueles que já partiram e deixaram tanta saudade em meu coração...
A Madrinha Alexandrina,
Avô Fernando,
O meu grande amigo João,
A Fica,
Sr. Mendonça, e outras pessoas que conviveram o meu dia a dia, onde conheçi tanta gente que já partiu.
A todos eles a minha eterna saudade.o meu até sempre.
A todos vós meus amigos as minhas desculpas,pelo meu desabafo....


sexta-feira, 12 de novembro de 2010

O sussurro do Vento



O sussurro do Vento, continua a falar-me de ti

E a paz…permanece,afagando docemente
A minha alma carente.

Assim como o vento levou
Tanta coisa que era boa
Sei que ele trára de volta
Afinal o Vento é isso
Hora brisa,hora fúria
E o nosso coração
Insiste em ser fortaleza



Ensaia o teu sopro,
A tua fúria em mim
E juntos faremos um prefeito furacão
Tráz tua brisa,que ela se tonará quente
Bem dentro do meu coração

Na noite silênciosa
Iluminada e misteriosa
Tráz-me teu sopro
Como toque de carícia
Num sonho de Amor
Repleto de malícia



Quebre esta fortaleza
Com toda a sua fúria
Sem nenhuma injúria,
Desfrute de toda a minha beleza.

Porque tudo isto é Amor simplesmente,
Suave e leve como uma brisa…..


Hoje tenho o prazer de mais uma vez juntar as palavras minhas ás de meu amigo Alcides e seu fabuloso blog, Abismo Noturno  http://abismonoturno.blogspot.com/
 se puderem visitem-no,não se vão arrepender.
A ti Alcides, meu amigo,o meu obrigada pelo carinho,ternura e respeito com que ao longo destes anos nos comunicamos e juntos conseguimos construir tão lindos posts,simplesmente porque são elaborados na base de uma amizade sincera.

Para ti meu Amigo;
As Almas Amigas, que são realmente ligadas não precisam de ligação física. Quando se reencontram, mesmo depois de muitos anos afastadas, sua amizade é tão forte, tal e qual como um dia surgiu numa outra reencarnação.
Eu acredito. E para mim existe um certo conforto em acreditar que essas Almas Amigas, entram na nossa vida para nos ensinar algo.
                                               Obrigada meu Amigo!








segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Um Amor....



Na escuridão, vagueamos perdidos, guiados apenas pela luz daquele amor que nos acompanha. Fazemos ajustes, tentamos guardar dentro de nós o que sentimos mesmo quando tudo o que queremos é gritar bem alto, partilhamos em segredo o nosso amor, as nossas esperanças, com aquela pessoa que não conseguimos esquecer. E esse amor passa a ser acompanhado pela amizade, que o ofusca, pois agora o amor já não tem lugar.





«A tua ausência é, em cada momento, a tua ausência.
não esqueço que os teus lábios existem longe de mim.
aqui há casas vazias. há cidades desertas. há lugares.
mas eu lembro que o tempo é outra coisa, e tenho
tanta pena de perder um instante dos teus cabelos.
aqui não há palavras. há a tua ausência. há o medo sem os
teus lábios, sem os teus cabelos. fecho os olhos para te ver
e para não chorar.»

                           José Luis Peixoto;"a tua ausência é, em cada momento, a tua ausência"



quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Dia de Mimos e selinhos!!!

Aos amigos e a toda a gente que me é querida eu tenho como habito quando tenho vontade, oferecer uma prenda, um livro,um doce,ou simplesmente um mimo.
Não preciso esperar pelo dia de Aniversário,Natal,Pascoa, enfim por aquelas datas especiais.
Alêm dessas datas, eu gosto de quando sinto vontade e me é possivél, oferecer algo.
Então hoje é dia de ofertas,aqui no meu Luar.
Recebi dois selinhos maravilhosos,que partilho e vos ofereço.
O primeiro veio da minha querida e linda amiga Diana e o seu encantado e secreto esconderijo http://esconderijodadi.blogspot.com/ onde muitas vezes nos sentamos para partilhar o belo que é ter amigos.
Vou vos confessar que adoro lá entrar e escutar a doce melodia que por lá toca.Lêr e apreciar os seus bonitos e interessantes post.Se puderem passem por lá!
                                    Obrigada minha linda Diana

               E agora este;


O segundo selinho tambem me foi ofertado pela Diana e á uns tempinhos atrás por meu amigo querido  Santo&Pecador e seu extraordinario blog   http://santo-e-pecador.blogspot.com/ cheio de sentimentos,emoções e muito mais.
Para mim é sempre maravilhoso poder conversar com ele, trocar ideias e reflexões que muitas vezes temos em comum.
Este selinho em particular têm regras.
Citar 10 coisas que eu amo e repassar a 10 blogs.
Como quem já me conhece a algum tempinho sabe, eu adoro/amo quebrar regras:))Não vou designar 10 blogs,mas sim a todos aqueles que aqui vierem.Porque hoje eu virtualmente estou presenteando os meus amigos com mimos.

Dez coisas que eu Amo;

1-A minha filhota,nunca houve, nem haverá nunca,um Amor tão grande e intenso como este,em minha vida.

2-A minha familia,embora tenhamos atravessado muitas adversidades na vida e grandes obstáculos,sobrevivemos os três apesar dos feitios serem por vezes opostos e diferentes,amamo-nos de verdade.Eu,a minha Mãe e o meu Irmão.



3-O céu,tenho um verdadeiro Amor por ele,Amo ficar deitada ou sentada contemplando-o,sem qualquer explicação obvia.Amo a lua,o Sol e as nuvens passageiras no céu.




4-O mar,Amo passear-me na praia,principalmente quando não existe muitas pessoas,amo o cheiro e a sua infinita beleza,dando-me serenidade.



5-Os meus amigos,a amizade é como um elixir para o meu espirito.Amo os meus verdadeiros amigos e peservo-os, estimando-os, para que durem uma eternidade a meu lado.



6-Cavalos,adoro animais em geral,retirando alguns insectos e rastejantes...:),mas os cavalos são a minha verdadeira perdição.Amo-os em especial um que ficou para sempre dentro do meu coração.

7-O douro,tenho um Amor enorme por esta  terra onde meu pai nasceu. E sempre que me é possivél,vou lá passar uns dias,matando saudades de amigos e tempos distantes onde as férias sempre foram inesqueciveis.Onde a paisagem é infindavélmente bela.



8-Conduzir, não no meio da cidade e com este trafego selvagem,mas Amo conduzir sossegadamente(em velocidade...shiuuuuuu)com os cabelos ao vento.


9-Andar descalça,sinto uma liberdade inconfundivél quando me permito andar descalça. Num belo jardim relvado,descalçar-me.Amo pisar as poças da chuva descalça.Amo caminhar descalça na areia da praia.

10-   A vida! Por muitas tormentas e vicissitudes que ela tenha....Amo a vida.Amo a minha vida.



                         Obridada meu lindo e guerreiro amigo     
                                          Santo &Pecador

A todos os meus queridos e amigos, deixo-vos estes selinhos cheios de beijos meus e repletos de Luares.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Por favor,hoje,....não me acordes




Tinha entrado naquela vida de adulto e agora nada havia a fazer.
Ainda vivia em casa da mãe e era ela que o acordava todos os dias.
Exactamente como fizera em tempos para o obrigar a ir para a escola.
Agora era o trabalho.
Tinha sido ela,a mãe,a insistir;ou começas a trabalhar ou arranjas outra casa.Uma ameaça.
Quando era novo, com seis ou sete anos,a ameaça tinha sido a mesma.Ele não queria ir á escola e a mãe dissera;se não fores á escola tens de encontrar outra mãe e outra casa.
Ele,claro,ficara cheio de medo.
Não percebera nesse altura que a mãe nunca cumpriria a ameaça.
Tinha acreditado na mãe,a mãe dizia sempre a verdade.Desde miudo que pensava assim.
Nem passados aqueles anos todos a mãe o poria fora de casa.Queria apenas assustá-lo.Obriga-lo a fazer qualquer coisa,a tornar-se útil;o que diriam as pessoas se soubessem que tenho em casa um filho que não quer trabalhar?
Em suma,tudo era igual aos tempos em que ele andara na escola;só tinham passado vinte anos.
Nunca namorara,os amigos eram poucos,as saidas nocturnas raras.
O dia começava sempre com a mãe a entrar no quarto,acordando-o.
Ela afastava os cortinados e dizia;é preciso entrar luz.
Naquela noite ele decidiu matar-se.
A meio da noite pegou na caixa de comprimidos e tomou os suficientes.
Deixou apenas um recado escrito,com o papel preso do lado de fora da porta do quarto.
O recado dizia....
Por favor,hoje,não me acordes....
Mas talvez não tenha tomado os comprimidos suficientes.O certo é que na manhã seguinte,com mais esforço,mas mesmo assim com eficácia,a mãe acordou-o.
Ela havia entretanto rasgado aquele bilhetinho ridiculo.E depois havia dito algo de que ainda hoje,ele,o filho,não conseguia perceber por completo o sentido.
-Tens de acordar-dissera-lhe a mãe-não temos alternativa.


                                                                    Texto da autoria do escritor Gonçalo M.Tavares