sábado, 31 de março de 2012

Meu amigo anjo



Quando suspendo o  meu fôlego e o brilho teima em preencher os meus olhos,beijo-te a face....em pensamento... em silencio e no vazio do espaço temporal.
Olho a pedra fria e sei que jamais voltarás a erguer-te.
Em meu corpo,no meio das minhas mãos, descansa ainda a tua mão moribunda....
Recordo....sempre te recordo...
È-me tão difícil ser forte ...como sempre dizias que eu era.Mas como poderei ser se alguêm assim como tu,partiu por um tempo sem fim.
Sabes...?È atravez dos prados onde corremos em noites de sonho,quando de longe em longe me vens ainda visitar...que tento apariziguar esta dôr.
Tenho saudades das nossas conversas longas,da nossa amizade aqui na terra.
Mas ela veio como uma ladra,naquele fim tarde de vento suave e calor.
Como uma ladra nao avisou e apenas te levou...
Este pensamento meu, guerreia constantemente com as lagrimas dos meus olhos, que teimam  em cair  sempre que te recordo.E que sei que por todos os anos que viva  jamais secarão.
Maldita tarde fatal...que naquele corredor imenso eu corri para de ti me despedir... tão mal...
Hoje embalo esta dôr no frio da pedra que ficou a marcar o teu lugar....pois foi contigo que eu dasaprendi o idioma do Adeus....e uma vez mais não me despeço e apenas te digo em silencio.....
                                                         ..........ate já....

quarta-feira, 28 de março de 2012

Já não te amo







Já não te amo!
Sinto só a falta que me fazes todos os dias em que escrevo só, aqui neste pedaço do mundo tão estranho.
A maioria das vezes caminho por esta praia que eu quis nossa, sozinha.
E sou uma estranha de visita tão breve como breve é o desejo ou o suspiro do peito.
Caminho descalça e desenho traços na areia molhada . Sempre o mar como fundo. O nosso mar, e já não reconheço os lugares,as rochas,os recantos. Nada! Já não me reconheço na névoa que me embacia o olhar.
Paro a descansar. A reunir as emoções em forma de palavras frias. A registar o momento tão breve de nós que nunca fomos. Preciso de te registar em palavras. A forma mais desumana e possível.
Caminho, os olhos desertos não vêem a luz do sol a espraiar-se nas águas deste Oceano imenso. O barco á vela que ao longe vejo já não tem mais todo o tempo,aquele que dura a viagem breve demais para que se possa sonhar o tempo.
Já não te amo.

 Já não quero sonhar que te amo.
 Já não quero imaginar que te amo.
 Já não!
Porque apenas e somente já não fazes parte de mim...

quinta-feira, 22 de março de 2012

Medo





O tempo passa....
Já não me traz nada de novo...a sensação...
A sensação de estar sempre no mesmo sitio.
Um lugar escuro....
Onde já nem eu me reconheço.
O tempo passa....
Tento pensar em tudo o que vivi
Mas as minhas recordações
Parecem não encontrar outro destino
Vejo-me novamente ligada a um desejo
O desejo de conseguir suportar a distancia.
O tempo passa....
Tenho medo....
Tenho medo de desejar o que quer que seja
Porque o desejo afastou-me sempre da razão.
E no meu caso....sempre resultou numa fatalidade.

domingo, 18 de março de 2012

Ficar



Ao cair da noite
Deposito o meu corpo nos lençois.
Espero-te todos os dias.
Respiras o meu cheiro,a minha ânsia
Guardas a minha sombra
Nas palavras que ficaram de nós
Ao cair da noite
Repousas o teu corpo.
Eu toco-o em desejo e silencio todos os dias.
Porque sou a tua ânsia
A tua exaustão
A tua êxtase.
Ao cair da noite
Nada se escuta mas tudo é possivél de entender.
Atravez do sonho desperto o lume da paixão
No cair da noite
Uma vez mais....
Ao fechar os olhos abandono este corpo meu
Elevo-me ao encontro da tua alma
Deixo-me por ti guiar e maravilhar
Pois eu acredito que um dia
Nós vamos conseguir ficar para lá do sono
E juntos um dia acordar.

sexta-feira, 16 de março de 2012

Como seria um dia perfeito



Um dia  onde eles ainda pudessem acreditar....
Apesar da inocencia dos anos á muito já os ter deixado,um dia...um dia.... onde eles pudessem vislubrar a essencialidade da vida com olhos feitos de pureza.
Um dia onde eles pudessem voltar acreditar nas ilusões.
Onde a vida não ficasse mais vazia de esperanças e não perdessem a alacridade.
Um dia onde eles pudessem de novo acreditar que ainda existem quimeras possiveís.
Um dia onde eles pudessem segurar as suas mãos e  conduzirem-se  por campos floridos, correriam de mãos dadas, ao sabor do vento que despenteava seus cabelos,levando cada palavra de amor até a eternidade.
Um dia onde assistissem ao pôr do sol juntos,conversando coisas infantis,rindo sem sentido absoluto,felizes apenas e somente por estarem juntos.
Mas os dias perfeitos não sabem eles que podem existir.
Não!Não partiram nem deixaram de existir,como todo  mundo insiste em repetir.




terça-feira, 13 de março de 2012

Palavras a Catarina...

                  “Ela acreditava em anjo e porque acreditava, eles existiam!”
                                     Clarice Lispector

Belo anjo cintilante....
Poderia habitar o verde da serra encantada.
Um pó especial poderia espalhar
Para cuidar daqueles que o chamam
E ensinar-lhes o que é o amar
Só assim se sentiria realizada

Belo anjo brilhante....
Poderia aos humanos desejos conceder
Sorrisos e felicidade espalhar
Sem aos mesmo aparecer.



Poderia ter umas lindas e grandes, asas brancas,com as quais poderia voar e ser livre....para amar e sorrir eternamente.
Não teria somente luz, bondade e felicidade.Tambem cometeria alguns pecados,esse era o seu lado humano.
Seria um anjo terrestre que ao mesmo tempo nos enaltece com sua imponência e beleza.
Nos acarinha com seu olhar e nos seduz com a sua personalidade, marcante e cativante.
Anjo esse que algumas vezes não saberia como lidar com a vontade dos que querem estar por perto.Apenas para sentir a sua energia ou admirar a sua singela beleza interior.
Por vezes.... angélicamente.... os afasta sem querer....
Talvez soubesse disso....mas não deixaria de ser um anjo.
Um anjo do céu...,do mar.... e de tão intensa e imensa, por vezes, ela nao caberia dentro de si,e a imensidão do céu parecer-lhe-ai tão pequena e limitada quanto ao seu quarto....
Esse anjo tinha brilho de estrela.E não perdeu ainda,em sua essência e sua alma....em seu sorriso.
Esse anjo poderia ter um nome qualquer....mas eu lhe chamaria Catarina.... singelamente um nome de uma mulher.



quarta-feira, 7 de março de 2012

Prosseguindo






Os meus pensamentos não podem ser presos.
Nem sequer levados  pela tempestade.....
Muito menos cobertos pela areia...
Pois a liberdade está em sonhar.
Encontro no caminho os escombros....
Sinto na boca o gosto amargo do fracasso.
Sinto o  aperto do coração....
O nó na garganta...
Mas o ruido do Vento é apenas o unico barulho que escuto...
Num abraço........
Num carinho...........
Num desejo..........
Mas é no caminho que encontro os escombros.
E sinto que prossigo sempre em contramão.
O Vento sopra  devagar....
Escuto a musica que ele me dá.
Absorvo a paz...
Que de longe ele me traz...
Pois a liberdade está em sonhar e o sonhar na vontade e no desejo de continuar.

segunda-feira, 5 de março de 2012

Acabei com o verbo Mudar





Estou eu aqui a olhar o mar e a pensar como por vezes ele se torna zangado,outras calmo demais e não é por isso que deixamos de gostar...
Então....estou eu aqui.
 Sou eu mesma e não adianta quereres-me de outra forma.Pois este é o meu jeito e nada tenho a vêr se não te agrada.
Pensavas que eu te diria o que poderia fazer para mudar?
Não....Agora é tudo do meu jeito.
Já não há mais o que mudar.
Eu sou eu mesma,já to disse e repetirei quantas vezes necessarias,quantas vezes forem precisas.Até entenderes que o meu jeito pode ser lapidado, ...com muito cuidado!
Jamais será mudado.
Adquiri experiencias,aprendi com os erros,tentei consertas as falhas....cresci espiritualmente.
Aprimorei o meu conhecimento e adaptei o meu pensar para evoluir.
Mas se prestasses atenção....a minha essência ainda é a mesma e jamais mudará.
O que mudou foi apenas a tua maneira de me olhar....

quinta-feira, 1 de março de 2012

Desencantamento


Ja não encontro o encantamento de outrora.
Os cheiros das estações do ano que tantas vezes se confundiam com as luzes dos dias.
Tenho saudades desse encantamento que provavélmente tenha desaparecido apenas em mim.
Talvez eu me importe demais,escute demais,pergunte demais,espere demasiado, por aquilo que já não volta.
As horas nunca passaram com tamanha delonga por aqui...Outras vezes,  passam depressa demais para a importância que lhe damos.
Enquanto isso... deixo cada pedaço de mim.Tudo parece correr para um novo tempo.
Uma nova historia. Uma historia.... onde eu ainda nao pude estar.
Uma historia que ainda não sube inventar.
Talvez eu ande com muita pressa,escute e pergunte com pressa demais.
Apesar da delonga ,faz tempo que as horas não são sufecientes para me escutar.
As partes de um dia que me foram,hoje já não me dão esperança.
Talvez eu espere em demasiado.
Há cicatrizes que só eu as vejo.
Há sorrisos que eu nunca terei oportunidade de dár...
Talvez eu me importe demais,chore demais,morra demais.
Não sei se na procura de um equilíbrio entre a razão e a emoção me tornei opaca demais, "crescida" demais...
Talvez um dia qualquer eu me canse de permanecer empoeirada....e me reinvente para uma nova magnitude...
Ou simplesmente ...perdera eu o encantamento por esperar em demasiado....