segunda-feira, 23 de abril de 2012

Resistir

 
 

Alternando eficazmente os meus dias,resisto sofregamente ao pantano onde me encontro.
Não quero que chores, pois o sal das tuas lágrimas não mudará o que está feito...
Não quero que me peças desculpas, pois a culpa não foi só tua, mas sim uma infelicidade do destino. O único pedido que faço neste momento é que me confortes ...não te interessando em mim...ignora-me., dás-me a força que preciso.
 Nunca te arrependes....apesar de saberes. 
Vives mutilado fingindo que eu não reconheço.
Insistes naquilo que magoa e destroí.
Aproveite esses doces segundos em que estamos sós e reconheçe a ti mesmo que já não existe nada.
 E aí eu  te juro que poderá ser o principio do que já chegou um dia ao fim.
O fim já não é tão ruim como dantes.
Perdoa-me por não não poder ficar mais e deixa-me na noite fechar os olhos e dormir em paz.
Resistindo a cada dia que passa....tentando a tudo custo reerguer-me deste lodo que me puxa insistentemente para o fundo.
Eu só quero conseguir resistir.....

sexta-feira, 13 de abril de 2012

"Só de mim"






"Tu não sabes quem eu sou, mas eu sei quem tu és… e só preciso de um minuto da tua atenção.

Quero dizer-te que espero que saibas a sorte que tens. O quanto eu gostaria de estar na tua pele. Poder estar na mesma cama que ela todas as manhãs. Ajudá-la a acordar da má disposição matinal.

Espero que saibas que ela só vai falar contigo depois de lavar os dentes. Não é por mal… é por medo de perder o encanto aos teus olhos. Que a consideres um ser humano comum.
Espero que saibas que ela gosta de aproveitar cada raio de sol, e que o café a deixa mal disposta.

Que escolhe a roupa que vai vestir na noite anterior, só para poder ter mais cinco minutos de sono pela manhã. Que o despertador toca cinquenta vezes até que se levante, e que mesmo assim, consegue chegar a horas.

Quero também que saibas que adora histórias do fantástico. Mas não de terror! Que é capaz de saber o nome de todas as personagens de um livro antigo, mas que não se vai esforçar para decorar à primeira os nomes de todos os teus amigos…
Porque ela… ela é que sabe de si.

Tu nunca serás uma sorte para ela. Sorte é poderes tê-la na tua vida.
Sabes?
Ela não é romântica por natureza, mas uma demonstração espontânea da tua parte vai fazê-la fraquejar. Porque ela é segura e doce ao mesmo tempo.

Ela não sabe cozinhar, mas vai esforçar-se para fazer o teu prato preferido. E se estiver mau, vai rir-se do falhanço, em vez de corar.

E quando ela ri… eu tenho vontade de chorar. Não de tristeza, mas porque cada gargalhada é uma nota musical que toca ao coração e faz querer dançar.

Espero que pares de fazer o que gostas e que por vezes tenhas tempo para ouvir sobre o seu dia e sobre cada pequena conquista. Que atures os seus devaneios artísticos e o tempo que perde a colorir livros infantis quando quer ter tempo para si.

Quero que saibas que eu gostava de estar desse lado, a aturar o seu mau humor e a vê-lo mudar depois do primeiro copo de vinho.
Queria poder apreciar as suas unhas que estão mais tempo de verniz estalado que de verniz perfeito… mas que cada forma de vermelho tem uma história que ela construiu com as próprias mãos.

Gostava de me ter apaixonado por ela no primeiro dia que a vi, e não no segundo. Porque cada dia com ela é a certeza de que somos amados. Porque ela é sedução e alegria num só. Porque consegue o que quer com o poder do sorriso e a força do olhar. Seria um tolo se não soubesse que tem olhos castanhos e que adora a cor verde.
Quero que saibas que ela é tudo o que quero e nunca soube que tive.

Aprende que a arritmia que sentes com ela é normal! E que a falta dela é um vazio igual à morte.
Espero que sejas tudo o que eu nunca fui.
Espero que a trates bem.
Porque se lhe partires o coração vais perdê-la para sempre.
Pudesse eu ter lido o futuro..."

terça-feira, 10 de abril de 2012

O quarto


Levei a mão á maçaneta e entrei,num momento de distração de todos.
Já lá tinha estado antes.Muitas poucas vezes...depois de o ter abandonado,de o ter deixado despido de mim...nunca mais o reconheci.
Por vezes tenho uma sensaçaõ animalesca,o cheiro.O cheiro daquele quarto já nao era o mesmo,já não era o meu e rapidamente foi preenchido de coisas e objectos completamente estranhos a mim.
Já não era o meu quarto.
Nunca mais o foi.
Mas agora despedido novamente apesar de o cheiro não ser o meu,
reconheci-o um pouco...
Fechei a porta nas minhas costas.A luz que por ele entrava era fosca e num momento de apenas alguns segundos olhei em volta e tanto veio ao meu pensamento.
Um quarto,um simples quarto...mais de mil sensações diferentes.
Houve fantasmas que enclodiram de dentro de mim e me arrepiaram ao lembrar coisas menos boas que nele se passaram.
Houve um tempo,num tempo distante que aquele quarto foi a unica divisão daquele casa que nos protegia de todo o mal.
Houve porêm tempos bons e memoraveis.
Serenatas á janela....brincadeiras de carnaval....beijos roubados.
São desses momentos que eu gosto de recordar,os bons momentos.
Os maus eu deixo apenas passarem por mim e desaparecerem.
Mas...já não é mais o meu quarto.
Passei a mão pelas parteleiras da estante vazia...e abandonei-o uma vez mais...
Fechei a porta e com ele deixei fechadas as memorias de outros tempos distantes que deixei de precisar.
E eu...esquecida daquele momento breve, fechei a porta e voltei ao meu lugar.