quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Canção ao Vento






Da Moon ao  Vento...

Se o vento falasse, ele sussuraria com  seu sorriso aos meus olhos, e levaria meu recado aos seus ouvidos.
Se o vento falasse, eu seria iludida por seus contos de amor como uma criança que acredita em histórias de encantar.
Haveria de ter uma só palavra…
Bastaria uma só palavra para traduzir o que os olhos não vêem – seu perfume.
Poderia ser uma brisa a me embalar ao som do balançar dos seus olhos. E se o vento falasse, ele iria compor uma canção em seus lábios para mim.
E se o vento pudesse, destilaria sua vida em versos, poesia e canção só para me ouvir gargalhar.
Se eu soubesse cantar,sussuraria ao vento que desbravo horizontes por um fiapo raro de oxigênio.
Se eu soubesse cantar ,mostrava-lhe que estou presente na quietação das sombras quando ele dorme,na esperança de que a alvororada se torne radiante.
Se eu soubesse cantar,entoaria minha voz para lhe dizer que guerreio em sorrisos com meu coração,por o vêr bater novamente.
Se eu soubesse cantar,cantar-lhe-ia dizendo, que o  desespero da minha solidão,abriu-se em céus de multiplas cores e já não têm a menor importancia.







9 comentários:

Vento disse...

Querida Moon

Deixaste-me sem palavras, o meu corpo estremeceu ao ler as tuas dedicadas palavras, imaginei-te aqui por momentos... Junto a mim a olhar-me nos olhos. Segurei na tua mão e senti-te bem dentro de mim.

A tua amizade é um sentimento que sempre me tocou. Estás sempre presente quando mais preciso ao longo destes anos. O teu jeito de escrever encantou-me desde o inicio. A tua ternura demonstra o quanto és maravilhosa.

Adoro-te Moonlight
Beijo

Edu disse...

tem sempre importancia trenga.
Abraço

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Gostei muito do texto, mas quando leio o final fico pensativo. Diz assim: "Se eu soubesse cantar,cantar-lhe-ia dizendo, que o desespero da minha solidão,abriu-se em céus de multiplas cores e já não têm a menor importancia".

Siçêncio em nossa vida, sim, solidão, não. Muitas vezes procutramos fora e longe de nós, o que está cá dentro. Muitas vezes procuramos fora de nós o que somos, e que se não tivessemos essa materia prima, provavelmente o que está fora de nós nao actuaria sequer.

Um beijo grande, com um sorriso de alento. :)

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Você e o vento já formaram um bela parceria nesse texto lindo. Parabéns. Beijos.

Sonhadora disse...

Minha querida

Uma bela homenagem ao vento...uma canção de embalar os mais belos sonhos.

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

oteudoceolhar disse...

...até me arrepio...esta música é divinal. E o filme? Viste?
De levar ás lágrimas, mas magnifico.
"Bastaria uma só palavra para traduzir o que os olhos não vêem ..."
Os olhos esse espelho que espelha o que nos vai na alma...eu também ouço o vento e tudo aquilo que ele me diz, mesmo que por vezes ele se mantenha em silêncio, eu respeito, mas sinto-o lá, ou bem ali ao meu lado...
Belas as suas palavras, que em comunhão com a música dá algo de reler e ouvir....que não nos faltem os heróis, na nossa história de vida, e que no fim um dos maiores heróis sejamos nós...
(curioso temos gostos musicais um pouco parecidos...gosto).

Beijo n´oteudoceolhar.

oteudoceolhar disse...

...venho deixar um obrigada, um sim ao Caranguejo, viva e que viva o nosso sentir tão único perante os outros do Zodíaco ;) (convencida eu hein!?!).

Deixei um recadinho para voçê no post.

Bom fim de semana, beijo n´oteudoceolhar.

Daniel Aladiah disse...

Querida Moonlight
A solidão pode ser querida e combatida... ambas as estratégias resultam, nomeademente em versos sentidos e lindos.

Beijo
Daniel

Charlotte disse...

Lindo, Moonlight!!

Beijos e abraços