segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Novamente


"Não há acasos,há apenas encontros."

Paul Eluard


...tudo se seca dentro de mim...
...quando acordo da noite em que tu, homem sem rosto, me visitas em sonho e me deixas sentir,emoções que já tinha apagado de mim...
Há tantos anos que me visitas e nunca consegui saber quem és.
A tua forma é sempre a mesma,o teu jeito sempre carinhoso,o teu amor sempre cheio de magias que não sei explicar...
E no acordar...fica aquele vazio...
Quem és tu...?

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

O propio reflexo


Enquanto espera sentada na mesa daquela esplanada,que o telemovél tocasse com alguma mensagem dele,mentalmente,pareceu-lhe ouvir a sua voz a sussurrar-lhe:Estás a ver grande idiota,como te tornei a descontrolar...
Fechou os olhos e reviu distintamente rosto dele:a doçura dos seus traços,o brilho daquele olhar esverdeado,os raios de sol tornando seus cabelos mais louros.Sentiu o cheiro da pele dele,ouviu o seu riso contagiante e a sua voz quando a chamava pelo nome.
Tudo isso a destruía.Tentou lutar afastando as recordações.
Chamou o barman e pagou a conta.Agarrou no telemovél e guardou-o, dentro da mala de mão.
Caminhou pela cidade.
Onde estaria ele agora?
Para se abstrair dos pensamentos,voltou a cabeça e pôs-se em frente do grande vidro da vitrina,forçando-se a ver as roupas que esta expunha.Com lágrimas nos olhos,pousou as mãos na vidraça e aproximou a cara do vidro.Como se estivesse na frente de um espelho,viu a sua imagem reflectida.Há quanto tempo não se tinha, verdadeiramente,olhando ao espelho?
Diante de si tinha uma mulher frágil e só,cheia de contradições.
Uma mulher/mãe á beira dum turbilhão de pensamentos.Uma mulher em luta consigo mesma.Uma luta sem tréguas contra a sua inimiga interior.
Fechou os olhos e sentiu que as lágrimas lhe corriam no rosto.
Limpou a cara,olhou-se no vidro,considerou que tinha envelhecido dez anos em dez minutos.
Sentiu a presença de alguém se aproximando da montra e saiu precisando de alguns segundos para ver onde estava e que direcção deveria seguir....



Musica escolhida;Tiago Bettencourt-O jogo

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Viajante...Visitante...Meu amor mais errante...


Que nesta noite escura,
Senti saudades.
Tudo me leva a pensar,
Talvez te tenhas esquecido de mim...

Foi um amor ausente,
Que nunca adormeci...
Mas neste vazio que disfarço,
Fecho os olhos e espero....

Que um dia troques o passo,
E encontres teu caminho...
Não de encontro a mim,
Mas apenas a um sonho que não tenha mais fim...


segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Ilusão



“Perecemos menos pelos efeitos de um desgosto certo que pelos das esperanças iludidas.”
Balzac (A Mulher de Trinta Anos)

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Lisboa!




Cidade minha,que me apaixona cada dia mais.
Onde me perco olhando o Tejo.
Cidade que me deu vida.
Onde hoje me diverti demais.




Adoro,a minha cidade!

"Lisboa,menina e moça"




Faluas,
Vaga lembrança
Qu'eu de criança
Guardei para mim

Se as vejo ainda
Às vezes no Tejo
Revivo a alegria
Do tempo em que via no rio a passar

Faluas do Tejo
Que eu via a brincar
E agora não vejo
No rio a passar
Faluas vadias
Que andavam ali
Em tardes perdidas
Qu'eu nunca esqueci

E era tanta à beleza
Que essas velas ao sol vinham criar
Belo quadro da infância
Que ainda não se apagou

E eu tenho a certeza
Que as Faluas do Tejo hão-de voltar
Outra vez a Lisboa

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

...


Convenço-me ...
Que se perde mais, com o que fica por Se dizer...
Do que aquilo que não se diz...

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Uma história simples...


Hoje sinto-me cansada...
...exausta.
Lembrei-me duma história simples...

"Era um rapaz simples,bonito,alourado e quando seus olhos se cruzaram pela primeira vez,ela viu que eram dum esverdeado lindo.
Cumprimentou-a com dois beijos e sua face tornou-se corada,apesar de em seu rosto explodir um sorriso sincero e esplendoroso que logo a conquistou uma vez mais.
No trajecto sem destino que fizeram ,não mais se calaram,falaram de coisas serias de coisas bobas,mas principalmente riram-se muito.
Ela contemplava aquele rapaz como se já o conhece-se á tanto tempo.A harmonia perfeita,a sintonia de sentires que viviam era como se tudo,já tivesse acontecido outro tempo atrás.Noutra vida pensou.
Ele estava nervoso e de cada vez que tentava disfarçar,acabava por o dizer,finalizando com uma gargalhada.
Suas mãos estavam tremo-las,suadas e seu coração disparava a cada olhar dela.
Ela por sua vez,mostrava-se segura de si...mas se naquele momento tivesse que se por de pé,teria caído certamente, sem forças nas pernas.
E assim permaneceram,sentados no carro de frente para aquela praia olhando o mar e trocando segredos sinceros.
O tempo, esse...pareceu parado no propio tempo...
E no meio desse,trocaram beijos simples e loucos de uma paixão em perfeita simbiose.
O tempo passou chegando a hora de partirem,promessa de um novo encontro...se avistava á distancia,e assim aconteceu....
Mas nunca deixou de ser um Amor proibido,que acabou por finalizar...sem ter tempo, de ter seguindo o seu trajecto... Sem medos...."




domingo, 16 de agosto de 2009

Desencontro

"A vida é a arte do encontro,embora haja desencontro pela vida."

Vinícius de Moraes



sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Inveja


"O invejoso,em vez de sentir prazer com o que possui,sofre com o que os outros têm."
Russell , Bertrand


Era uma vez uma centopeia que com suas cem patas era muito boa a dançar.Quando dançava,os animais do bosque reuniam-se para a admirar e todos estavam muito impressionados pela sua habilidade.Só um animal não podia suportar que a centopeia dançasse,um sapo...
"Como posso eu impedi-la de dançar",pensou o sapo.Não podia dizer que não gostava da dança nem que era melhor a dançar do que a centopeia,seria um absurdo.Por fim,tramou um plano diabólico.
Escreveu uma carta à centopeia:"Ó imcomparável centopeia!Sou um devoto admirador da tua requintada dança.Gostaria de saber como te moves a dançar.Levantas primeiro a perna esquerda numero 22 e depois a perna direita 59?Ou começas por levantar a tua perna direita numero 26 antes de levantar a tua perna esquerda numero 44?
Aguardo ansiosamente uma resposta tua.Saudações cordiais,o sapo."
Quando a centopeia recebeu esta carta,reflectiu pela primeira vez na sua vida no que fazia quando dançava.Que perna movia em primeiro lugar?E que perna vinha a seguir?
Certamente que não preciso de dizer o que aconteceu.A centopeia não mais voltou a dançar....

quinta-feira, 13 de agosto de 2009


"13 de Agosto..."
Nada tem a haver com superstições!Nada contra o dia em si!
Simplesmente uma data,que não gosto de recordar...
Que gostava de um dia não ter de a lembrar...


quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Tic-Tac....Tic-Tac....



Acalma-te coração...!
Que bates descompassado...
Não te lembras?
Daquele recente passado...!
Onde sangras-te de desilusão...!


O tempo foi desfeito...num tic-tac,sem defeito.
Agora é tempo... de não o desperdiçar...
E neste tic-tac...já é tempo de ficar....
Agarro o tempo,sem querer ter tempo
Nem sequer de pensar... se pode ser o tempo perfeito.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

"...que perfeito coração ,no meu peito bateria...
meu Amor, na tua mão,nessa mão onde cabia, perfeito meu coração..."

domingo, 9 de agosto de 2009


"Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão…Que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades e às pessoas,que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim…e que valeu a pena."

Mário Quintana


Não era a primeira vez que acontecia algo semelhante em sua vida.
Desta vez, ela ao inicio pensou que aconteceria o regresso.Depois com o passar de alguns meses,como não tiveram tempo de se conhecerem assim tanto,achou que não se voltariam a encontrar.
Arrumou tudo aquilo que tinha para arrumar,dos seus sentimentos.Fingiu para si mesma que se tinha esquecido,sarou as suas feridas,e continuou...decidida a adormecer tudo em si...
Agora inesperadamente ele voltou.
E agora?
Agora aquela mulher sente um misto de sentimentos fluírem novamente dentro de si.
No momento teve vontade de rir e pular de alegria.Depois sentiu vontade de chorar.
A sua vida era complicada...era covarde.Agora tinha medo de já não ter a força que teve no começo.
E decidiu que o melhor seria viver um dia de cada vez...e deixar o tempo tratar do resto.
Ele para ela,era algo que nunca tinha exprimentado.Era como o tempo tivesse voltado atrás,ela sentia-se uma jovem, quando estava junto a ele.
E ele....que sentiria ele por ela,para lhe voltar a dar noticias,ao fim deste tempo.
Que significaria aquela troca de palavras e pedidos de desculpa.
Dizer-lhe que se sentiu inseguro.
E ela?Como se sentiu???


quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Fazes-me falta!

Acordei dum sono que não era profundo,mas me trouxera a tua doce e ternurenta lembrança.
Ás vezes tenho a sensação que te abraço e toco na realidade....
Fica sempre no acordar,aquela penosa angustia de não puder voltar a dormir e continuar aquele sonho,em que me visitas com o teu sorriso que sempre recordo com satisfação.
Essa noite voltei atrás no tempo.....Vinte anos....vinte anos....como passaram.....sem notar que fugiram de mim aos poucos....
Quisera eu acordar naquele tempo atrás....tarde demais.....tudo muda...,tudo se transforma...
Fazes-me falta!
A falta de se viver,um dia atrás do outro... Intensamente!!!
A falta de algo que ficou por acabar....Alterado pelos anos.
A falta dos sorrisos e gargalhadas dadas.....Sonoramente altas!
A falta dos amigos que ficaram perdidos naquele tempo....Ausentes.
Aqui fomos felizes,aqui soubemos que já nada mais poderíamos ser.
Agora resta-me as noites,em que te lembras de mim e me visitas em sonho...
Em que tornamos a nos encontrar e desfrutar dum único carinho.
Fica na pele do meu rosto, o toque das tuas maõs...fica nas minhas maõs o aperto do entrelaçar das tuas...e a lembrança sempre viva do sorriso dos teus olhos,em mim....os teus lábios grossos,suavemente beijando os meus.....
E o que me resta é sorrir....sorrir sempre por te puder usufruir,mesmo apenas em Sonho...





"Sorri quando a dor te torturar e a saudade atormentar
Os teus dias tristonhos, vazios
Sorri quanto tudo terminar quando nada mais restar
Do teu sonho encantador sorri...
Quando o sol perder a luz e sentires uma cruz
Nos teus ombros cansados, doridos
Sorri vai mentindo a tua dor e ao notar que tu sorris
Todo mundo irá supor que és feliz
Sorri vai mentindo a tua dor
E ao notar que tu sorris todo mundo irá supor
Que és feliz. Smile..."

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Um grande Amor


Hoje,lembrei-me daquela história sobre a estrelinha que amava tanto o sol que virou girassol.
Não conhecia esta história,até a ter lido no blog de uma grande amiga minha.E hoje apeteceu-me pega-la emprestada e partilha-la com vocês,talvez alguns não conheçam esta história.
Obrigada minha querida amiga!(http://maktub-wwwmaktub.blogspot.com)



Dizem que existia no céu uma estrelinha tão apaixonada pelo sol que era a primeira a aparecer de tardinha, no céu, antes que o sol se escondesse. E toda vez que o sol se punha ela chorava lágrimas de chuva.

Um dia ela foi falar com o rei dos ventos para pedir a sua ajuda, pois queria ficar olhando o sol, sentindo o seu calor, eternamente, por todos os séculos. O rei do vento, cheio de brisas, disse à estrelinha que o seu sonho era impossível, a não ser que ela abandonasse o céu e fosse morar na Terra, deixando de ser estrela.

Virou planta. Cresceu sempre procurando ficar perto do sol. As suas pétalas foram se abrindo, girando devagarinho, seguindo o giro do sol no céu. E, assim, ficaram pintadas de dourado, da cor do sol.

É por isso que os girassóis até hoje explodem o seu amor em lindas pétalas amarelas, inventando verdadeiras estrelas de flores aqui na Terra.

domingo, 2 de agosto de 2009

Adoro...

Aqui confesso...

Adoro fazer Traquinisses!!!