segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Não desistas de mim...


 


Acordei...Sentei-me na cama.
Devagar...sossegadamente sem fazer barulho.
E foi então que me deixei ficar a apreciar Catarina. Abriu a janela sem medo de fazer qualquer ruido,pois sabe que não pode ser escutada a não ser por mim mesma...saindo para a varanda na madrugada suave e pacífica que se saboreava com paz de espirito...
Como é bom escutar o barulho do mar e sentir a sua maresia entrar por nós, adentro.
Dizem que de noite o mar dorme e se torna silencioso...é mentira ele está lá balançando e rebentando suas ondas na areia da praia,que dia dia se enche de pessoas.
Agora neste momento é apenas de Catarina.
Lá está ela sentada no seu cadeirão de verga fumando o seu cigarro e assistindo a mais um amanhecer...mas daqui deste 10º andar com vista sobre o mar é mais belo e fantástico.Têm de certo uma beleza própia e admiravél.
Gosto sempre de poder admirar Catarina no seu refugio, na madrugada, enquanto todos dormem...
Em Catarina existe muito de mim,mas muito mais daquilo que fui um dia...
Catarina é mais determinada e poderosa,é mais bela quando ninguêm olha para ela,têm na sua mente o poder de se lançar para o desconhecido e apostar.
Eu já desisti do jogo á tanto tempo, que nem sei...nem ao certo qual foi o momento que deixei de apostar e tornei-me perdedora.
Por vezes quando fico apenas observando Catarina,consigo olhar para trás,mas não consigo apontar ao certo o momento em que minha vida mudou e seguiu outro rumo.
Apenas sei que aconteceu num instante,num milésimo de segundo.
Cheira a mar salgado e a maré baixa.
Catarina perde-se como o fumo do seu cigarro...na linha do horizonte,em seus pensamentos mais profundos.
Será que tambem ela já desistiu...?
De repente uma gaivota passa em voo á frente do seu rosto,erguendo-se nos ares,pairando sobre ela.
Assustando-a!
As suas asas são enormes e Catarina estende o braço parecendo que lhe vai tocar,o vento que provoca sente-se no rosto.Paira no ar bem perto de Catarina por uns instantes e nesse instante estão unidas no tempo e no espaço.Existe um momento de compreençao entre elas...mas, então, antes de conseguir defenir esse momento,ele acaba.
A gaivota eleva-se e desaparece com ele.
Catarina fica especada,estupidamente e finalmente capaz de respirar,mas incapaz de se sentar novamente...como se tivesse acordado de um sonho.
Assustada...
Levanto-me e inclino-me no varandim...olho o meu mar já iluminado pelos raios fracos do meu Sol e contemplo tudo como se não tivesse visto ainda nada.
Como se da primeira vez se tratasse desde que aqui estou,conhecendo-o de alguma forma.
E sei tão bem quanto Catarina que temos ambas de voltar á realidade.
Simplesmente,não passou de um momento.
Catarina...
Não desista de mim....

11 comentários:

Angel in the dark disse...

Moon, querida,
Belissimo o teu texto!
Senti-me tão perto dessa gaivota como Catarina!...
E não desistas, nunca!
Beijos
Angel

Impulsiva disse...

Lindo, sempre que venho por aqui me surpreendo! Aliás nem deveria mais ser surpresa teus textos belos e profundos...

Fiquei a pensar, serei eu uma Catarina?? Determidada e poderosa, que se lança para o desconhecido e aposta? Eu me vejo assim, mas será que ainda sou?

Querida Moonlight, o que não podemos é desistir, apenas sentar e ver...

Beijosss!!
Estava com saudades daqui, fico feliz em ter voltado!

Lua Nova disse...

Toda mulher tem em si uma Catarina pronta para abrir as asas e seguir a gaivota. Toda mulher tem em si, aquela que observa e pondera, que se guarda serena, segura e que, de certa forma, abre espaços para aquela Catarina e a mantém viva, intensa, livre...
Moonzinha, que lindo texto, que introspecção criativa e envolvente.
Uma semana plena e feliz.
Beijos.

Lu Nogfer disse...

Ola Moonlight!
Ja estava com saudades!

Que belo texto!Super gostoso de ler!
Todas temos um momento de Catarina mas na verdade queremos ser aquela gaivota a contemplar Catarina e sempre de asas abertas,pronta a voar!

Beijo imenso e uma linda semana!

Santo&Pecador disse...

Querida amiga, que saudades de te ler. :-)
Para variar, mais um lindo texto.

Sabes quando comecei a ler este teu texto, e me lembrei de mais um ou outro texto que escreveste sobre "a Catarina", surgiu-me uma frase daquelas do Nicola.

"Um dia ainda leio todas as histórias da Catarina!"

Beijo!

A Palavra Mágica disse...

Moonlight, que saudade!!!

Por aqui costumamos repetir uma frase: "Sou brasileiro e não desisto nunca!"

Tenho certeza que a Catarina não desistirá.

Um beijo!
Alcides

Isa disse...

Olá,

Adorei o teu texto e revivi o meu pequeno texto, também eu estou pronta para voar, para seguir em frente, é isso que nos mantem vivas e com coragem para seguir um caminho... mas é tão bom seguir esse caminho acompanhada.
Não desistas e voa... voa livre como essa gaivota.

Bjs.

Isa

Secreta disse...

Voar, sempre, sem desistir, sem ceder a nada.

lynce disse...

Minha querida e doce amiga do virtual. Quero que saibas que senti imensas saudades tuas, dos teus preciosos comentários, e, obviamente das tuas excelentes postagens.
Beijinhos e boas férias, se for esse o teu caso.
:)))

Sammael disse...

às vezes o nosso outro eu é assim anda à deriva num caminho certo!


bj

Pensador disse...

Moonlight, querida amiga,
Mais que a Catarina, não deixe que você mesma desista de você. Espelhe-se na mulher guerreira que a Catarina é, e perceba que, como ela, a força para isto está dentro de seu coração.
A vida bate. A realidade é dura. Dá vontade de desanimar.
Mas o sonho existe para ser o norte da nossa vida. Para nos lembrar que em cada um de nós existe um leão, que pode estar adormecido. Mas está lá.
Não desista. Não se afaste de você mesma. Não deixe a realidade transformar as cores do sol brilhando sobre o mar ao nascer em um eterno dia cinzento e triste.
Um grande beijo, e um uivo carinhoso!