quinta-feira, 28 de abril de 2011

Amor Persistente



Foi mais facil fugir ao que sinto por ti....
Do que ganhar coragem e dizer-te que ainda gosto de ti e sempre te amei....




Um dia mais tarde,vários anos depois de um amor eterno e sem contratempo que acabou mas sempre permaneceu a esperança,encontraram-se por acaso num sitio comum.Sorriram,olharam-se nos olhos e ele acabou por dizer..."já foste minha namorada..." ela sorriu e respondeu..."pois fui..."ele colocou as mãos nos bolsos e sorriu uma vez mais...
Trocaram numeros de telemoveis e promessas.
Durante uns meses a conversa era sempre alegre e agradavél,o tempo rumava como o vento na vela de um barco...,a favor.
Encontros marcados e desmarcados...
Mensagens escritas com palavras cheias de estrelas e luares,palavras magicas.
Um dia, foi o dia prometido,anunciado...
Ela esperava-o ansiosamente e ele chegou! Abriu a janela do carro e com um sorriso nervoso disse..."entra!"
Os olhos foram os primeiros a beijarem-se, depois, rosto no rosto e o toque suave e saudoso de uns labios quentes.As palavras essas vieram devagar nervosamente de ambos os lados e seguiram seu rumo com conversas banais e descompassadas.
No restaurante,frente a frente os olhos denunciavam algo mais....que os actos escondiam...brindaram,"para matar saudades..." disse ela,divertida e feliz.Observam-se em silêncio,com tanto para dizerem.Ele estendeu a mão e afagou a dela entrelaçando os seus dedeos nos delas e beijando-a delicadamente.
Sem palavras para exprimir a perplexidade, sopesando os anos que passaram sem se verem,recordando aquela altura em que não havia mais nada,mais ninguêm,para eles,senão os dois,ela teve vontade de lhe dizer o quanto ainda o amava,mas remeteu-se apenas ao silêncio,a um leve e dócil sorriso.
Falaram apenas deles,das suas vidas,do que fizeram,do que andavam a fazer,puseram a conversa em dia como se o tempo não tivesse passado.
Sairam de maõs dadas com muito mais por dizer...conversaram no trajecto até  casa dele. E no elevador a vontade dele foi arrebatadora...ela voltou a sentir aqueles braços fortes e grandes em seu redôr...como antes...protegendo-a de tudo e de todos.Sentiu os seus lábios quentes num beijo ardente e demorado...e sem demora envolveu-o e retribui da mesma forma.
Existem momentos eternos que jamais esquecemos e jamais morrem.Perduram por toda a etrenidade se buscando mutuamente,mesmo que a vida  separe.
Entregaram-se um ao outro como nos velhos tempos...viveram por horas o amor que os unia por uma eterenidade.E voltaram a ser um do outro,voltaram a ser felizes.
Enquanto descansavam,lembraram velhas hitórias,os amigos, o porquê do fim...a idade em que pensavam que tinham tudo nas mãos e os levou a cometer actos involuntarios.... deixaram-se seduzir pelo momento...e quando deram conta já estavam vivendo vidas opostas.
Despediram-se com um leve beijo,com uma promessa de se tornarem a encontrar em breve,sabendo ambos que não era para cumprir,que isso provavélmente não aconteceria....
Separam-se no parque de estacionamento,foram cada um para seu lado.Estava a chover forte e ela subiu as abas do casaco,encolhendo-se afastou-se a correr em direcção ao carro.
Ele, sem pressa,permaneceu com o carro parado,olhando-a.Só depois de a vêr entrar para dentro do carro arrancou.
Ela sentou-se,trancando o carro e vendo-o afastar-se...ficou a meditar no encontro,no delirio que ele lhe provocou,espantada com o amor que ainda existia dentro do peito dela,no seu coração.Recordou como esse amor nunca lhe saiu da cabeça, como o amor que lhe tivera ao longo desses anos todos,como se lembrava dele,tal e qual como no passado, quando se lembrava dele por tudo e por nada,a todas as horas do dia.Como vivera com ele uma entrega total e como tudo é efémero até o amor vivido com uma entrega total.
Sobressaltou-a uma leve nostalgia...
Poês o carro a trabalhar e arrancou a sorrir sozinha,desconcertada disse para si propia em voz alta..."eu te encontrei!Agora sei porque quando á anos atraz eu olhava nos teus olhos e sentia um conforto...um lugar seguro."
Todos nós, mesmo sem nos lembrarmos, voltamos á terra para resgatarmos algo.
Ela podia ter-lhe dito mas....
Foi mais facil fugir ao que sentia por ele....
Do que ganhar coragem e dizer-lhe que ainda gostava dele e sempre o amou....

7 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida

O teu texto falo tanto de mim, que as lágrimas não me deixam escrever.
E nem o tempo...nem toda uma vida vai apagar um amor.

Deixo-te um beijinho apenas
Sonhadora

Fê-blue bird disse...

«Existem momentos eternos que jamais esquecemos e jamais morrem.Perduram por toda a etrenidade se buscando mutuamente,mesmo que a vida separe.»

Minha querida, são estes momentos e estas recordações que nos confortam quando tudo parece estar perdido.
Tens uma escrita cativante, perco-me e emociono-me sempre que te leio.

beijinhos

Isa disse...

Olá,

Este texto senti-o profundamente, é assim que me sinto, só ainda não perdi a coragem de dizer o quanto gosto dele.
Fiquei muito emocianada com as tuas palavras...

Sus disse...

Com um amor assim não há muito a dizer... deixemos que o silêncio perdure as sensações que as tuas palavras transmitem.

Lindo! :)

Beijinhos

A Palavra Mágica disse...

Amiga Moonlight,

Um texto cativante do início ao fim.

Certamente esta é a história de muitas pessoas.

Um beijo!
Alcides

Lu Nogfer disse...

Ola amiga!

Um texto super emocionante!
As vezes é mesmo mais facil fugir do que tomar coragem e dizer tudo de uma vez!

Beijos,linda
E boa semana!

O Árabe disse...

Sempre é mais fácil fugir... mas apenas enfrentar nos leva em frente! :) Boa semana, amiga.