quarta-feira, 13 de abril de 2011

A velhice tambem é bela!


                         "Um dia descobrimos que não nos transformamos em quem sonhávamos ser
                                                              e isso não tem nada de errado... "
 



Por Hilda Lucas

A juventude é uma vertigem. As cartas ainda não foram dadas, os dados não foram lançados. O leque das possibilidades é imenso e sedutor. Somos fortes, belos e não temos medo da morte por isso sonhamos o impossível, o improvável e o utópico. Benditos sejam os dias e os anos da nossa juventude: eles nos dão uma dimensão de poder e invulnerabilidade que nunca mais teremos.
Eternos sempre serão os dias e os anos da nossa juventude porque o tempo não existia. Tínhamos tanto tempo que desperdiçávamos ou desdenhávamos das horas como se elas fossem inesgotáveis.
O tempo não era contado muito pelo contrário, na nossa avidez de tudo sentir e viver, queríamos que ele voasse. As horas não eram preciosas pois não eram raras, nem caras. Intactos sempre serão os dias da nossa juventude: só então fomos eternos.
Às vezes nos lembramos daquela arrogância maravilhosa e sentimos saudade da experiência da plenitude bruta e gratuita, do vigor físico e do idealismo heróico. No entanto, não conheço nenhum "adulto" razoavelmente bem resolvido que quisesse voltar a ser jovem - a não ser ter "juntas e vista" de jovem como diria João Ubaldo.
Descobrimos que se não somos especiais como pensávamos ser isso não é triste nem nos transforma em perdedores. É só vida real. Descobrimos que se não somos geniais ou revolucionários somos nossos próprios heróis. Descobrimos que não transformamos o mundo mas tocamos pessoas. Descobrimos que o possível é mais complexo que o impossível porque o possível está à nossa frente não no mundo das idéias. Descobrimos que o projeto de paz mundial não é viável sem paz interior. Descobrimos que mesmo sem prêmios nóbeis, fortuna ou fama nos realizamos em profissões e atividades comuns e isso não tem nada a ver com mediocridade.
Não somos o avesso do jovem que fomos: somos quem pudemos ser e se fazemos o nosso melhor, se lutamos com coragem nossas pequenas lutas, se defendemos com dignidade nossas bandeiras, se amamos com generosidade nossos amigos, pais e filhos, se respeitamos nossos semelhantes e a nós mesmos somos com certeza especiais, de um jeito muito real.


               "Um dia descobrimos com serena maturidade que não nos transformamos
                     em quem sonhamos ser na juventude mas em alguém muito melhor..."


9 comentários:

Sus disse...

E as tuas palavras finais dizem tudo... que o espírito nunca envelheça.

E valeu pelas recordações desta música...

Beijinhos :)

* lady M. disse...

velhice me assusta... quero que ocorra comigo igual foi com minha mãe. Ela vivia dizendo que nunca iria envelhecer e acabou morrendo muito jovem... Quero que comigo seja assim :)

Sei que parece egoísta e ignorante da minha parte, mas eu também penso como ela.

Mas saiba que sua postagem está excelente! Aqui é sempre maravilhoso.

Beijos NegroS^^

O Árabe disse...

Belo texto... principalmente para quem, como eu, já cruzou a fronteira da juventude há um bom tempo. :) Bom resto de semana!

Lost Soul disse...

se chegar a velho...ui que festa ( cheio de artoses e tudo)


beijo

A Palavra Mágica disse...

Amiga Moonlight,

Apesar de toda a beleza da juventude, certamente hoje somos melhores.

Beijos!
Alcides

A.S. disse...

Belissimo texto! Revejo-me em muitos dos pontos de vista expressos.


Beijos meus,
AL

saudade disse...

Que mesmo não sendo o que desejavamos, sejamos felizes e melhores do que o que sonhavamos....
Saudade

Sonhadora disse...

Minha querida

Mesmo que fiquem alguns sonhos pelo caminho...mereceu a pena.
Para mim ter os meus filhos...só por eles já mereceu a pena vir a este mundo e estar cá.
Como sempre adorei o teu texto. e deixo um beijinho e votos de bom fim de semana.

Sonhadora

Clara disse...

"Um dia descobrimos com serena maturidade que não nos transformamos
em quem sonhamos ser na juventude mas em alguém muito melhor..."

Esta frase... uau! Arrepiou!

Beijos minha querida
Clara