quarta-feira, 29 de abril de 2009

Esta dança




Imaginei-me a dançar
Num mar de devaneios
Uma dança rodopiante
Como uma estrela brilhante

E encontrei-te a navegar
Neste mar azul ofuscante
Enquanto a brisa suave
Convidava-me a embarcar

E num vai e vem de loucura
Aconchegada por seres marinhos
Perdi-me em tua busca
E em perfeito desalinho

6 comentários:

A Palavra Mágica disse...

Moonlight,

A dança do vento,
A dança da chuva,
A dança do ventre,
A dança da vida
A dança.

É em perfeito desalinho que as almas se encontram para dançar.

Beijos!
Alcides

rui disse...

Moonlight...rodopias-te ao som do mar......
dancas-te ao ritmo das ondas
desfalecestes...como espuma no areal....mas continuarás a ter forcas para dancares....

obrigada pelo teu bonito comentario
que colocas-te no meu blog.....

te desejo tudo bom para Ti
um beijo....
Rui

Lita disse...

Podemos levar a vida num " pas de valse", balançando,ganhando cada vez mais vontade de nos soltarmos de arriscarmos, de rodopiar frenéticamente, de girar a compasso e entrar quase num transe absoluto na dança louca da vida...
Mas na verdade procuramos sempre um "Pas de Deux", e queremos dançar sempre...assim... juntos...
Mas é aqui que nos perdemos...

Um Beijo
Lita

A.S. disse...

A dança, o mar, o desejo!
A trilogia perfeita!...


Beijos...

Merchi disse...

... concordo com a AS: a dança, o mar, o desejo!

Λύκος disse...

Olá,

Dançar num mar de devaneios, também me parece sombrio, mas, à mim, em nada perde para o merecido elogio.

A vida, o destino, desatino, é sempre um caminhar sombrio.

Os dias que fui, são embranquecidos na névoa do passado, os dias que serei, estão envoltos de nuvens vindouras...

Mas, o que sou, é presente e claro, o ontem e o amanhã são lugares em que há sombras a se dissipar... onde ainda não avisto ao certo o que se fora e nem o que será.

Obrigado pela companhia,

Forte abraço!