quarta-feira, 28 de março de 2012

Já não te amo







Já não te amo!
Sinto só a falta que me fazes todos os dias em que escrevo só, aqui neste pedaço do mundo tão estranho.
A maioria das vezes caminho por esta praia que eu quis nossa, sozinha.
E sou uma estranha de visita tão breve como breve é o desejo ou o suspiro do peito.
Caminho descalça e desenho traços na areia molhada . Sempre o mar como fundo. O nosso mar, e já não reconheço os lugares,as rochas,os recantos. Nada! Já não me reconheço na névoa que me embacia o olhar.
Paro a descansar. A reunir as emoções em forma de palavras frias. A registar o momento tão breve de nós que nunca fomos. Preciso de te registar em palavras. A forma mais desumana e possível.
Caminho, os olhos desertos não vêem a luz do sol a espraiar-se nas águas deste Oceano imenso. O barco á vela que ao longe vejo já não tem mais todo o tempo,aquele que dura a viagem breve demais para que se possa sonhar o tempo.
Já não te amo.

 Já não quero sonhar que te amo.
 Já não quero imaginar que te amo.
 Já não!
Porque apenas e somente já não fazes parte de mim...

6 comentários:

suspiros disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jacarée e Baby disse...

Moonlight !

Não conseguimos viver sem o nosso fiel amigo. Esse "Amigo" que se chama "Amor" companheiro de todas as caminhadas.
Ora somos as pessoas mais ricas do mundo ou minúsculos miseraveis.
Muito delicado, ultrapassa qualquer obstáculo...ou devorador...
Folgo em ler que "já não o ama," é um bom ínicio para acalentar sua dor.
Renasça para a Vida e conquiste a FELICIDADE a SORRIR. Seja Feliz, Minha Querida Amiga!
bejs doces no seu lindo coração.

Secreta disse...

Senti cada uma das tuas palavras como se fossem um "retrato" do tanto que tenho vivido/sentido.
É incrivel como por vezes nos revemos tanto nas palavras dos outros!
Deixo um beijito.

oteudoceolhar disse...

Forte...para começar forte.
Como quero ler com atenção e estou de volta das palavras...amanhã virei para ler.

Hoje apenas um abraço, grande um beijo imenso...ficou recado lá do outro lado.

Eu volto, e sei que voltarás também.
Beijo n´oteudoceolhar.

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Olá amiga

Não será novidade se eu disser que a beleza aqui expressa se encontra sempre com o reverso da alegria, e que é esse sentimento de passear sem ninguém na praia recordando outros momentos, mas nao conseguindo reconhecer aqueles!

A nostalgia e a tristeza fazem parte da beleza e existem para limpar a alma...

beijinho amigo

oteudoceolhar disse...

Já não te amo....há um ano comecei a cair num precepício assim...Amava e hoje creio que sim, já era uma amor muito fingido e de fachada e achar que amava...certo porém que felizmente (hoje assim entendo), fui humilhada pelas palavras e coloquei um ponto final, achando que nunca iria superar a situação, ainda para mais com um filho. Mas além dos 300km que nos separava, já haviam muito mais. Fim the end…há lá pelo meu blog textos disso…hoje estou em paz, e o sol brilha, não vou dizer o que me vai no sentir…para isso existem as palavras, hoje pé ante pé…mas ganhei, parecia que vivia mesmo estupidificada e fechada, de e em mim.
Por vezes acreditamos querendo acreditar…mas não dá, simples, hoje viver de fachada não é algo que conseguisse fazer, porque dizer Amo-te sem sentir…é apenas nos enganarmos, já para não dizer outras coisas…
Pelos vistos, estás perto de mim…acredita como eu acredito um dia sim, quem sabe não vais a uma exposição minha? Teria todo o gosto, não expôs a questão por opcção na altura…bem como envilvia muitas outras coisas que não vale a pena mencionar…um dia, quem sabe.
A aventura continua…tratei as paredes, algumas caras, algumas cores….
Obrigada … Beijo n´oteudoceolhar.