quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Perdida




....deste-me a mão e ajudas-te-me a levantar.Tive um acordar como a muito não sentido,deixei-me levar descalça,seguindo-te um pouco perdida.Mas aquela sensação de paz e felicidade era deveras vertiginosa em mim.
Senti o chão frio,olhei e nada vi,guiavas-me num labirinto desconhecido,sem luz,como se dum apagão se tratasse...a dificuldade em seguir era nula,tinha-te comigo e agora andava-mos num passo mais forte e acelerado.
De repente,senti o chão macio,frio mas macio,delicado,olhei para meus pés e vi...areia da praia,dum tom clarinho,olhei em frente e não vi mais nada a não ser aquela areia imensa que se prolongava numa imensidão extensa.Já não estavas ali.
Senti,medo....pavor....arrepios de frio...e continuei caminhando,nem sequer sabia onde estava.A areia tornou-se mais grossa,magoou meus pés descalços...chorei...Ajoeilhei-me e ali fiquei,não sabia onde estava.
Um vento forte soprou de sul e fez meus cabelos esvoaçarem,secaram-se as lágrimas,levantei-me a continuei de encontro ao vento,de encontro aquela brisa suave,que me fazia apetecer caminhar em passos largos acelerados quase em corrida.
E então sem mais,avistei um caminho de pedras grandes e largas sobre o mar,pisei cada uma delas, perdida...completamente perdida...pareceu-me avistar alguem na ultima pedra no meio do mar.Desviei o olhar para poder continuar a caminhar e quando por fim cheguei a ultima pedra segurei a tua mão,meus olhos percorreram teu corpo...mas no momento de ver teu rosto...abri os olhos e só vi a escuridão...e a única coisa que me veio a ideia foi....onde estou PERDIDA?
Ainda hoje pergunto-me...quem eras tu....

2 comentários:

Edu disse...

Talvez o mesmo que te viu dançar na noite anterior. Sob o luar ,onde te confundias com as estelas, o teu vestido rodopiava ao sabor dos ventos ...iluminado pelo teu olhar. A propria areia se revolvia em tua volta e o mar esse trazia consigo cheiros de outros mundos. O seu som um melodia que embriagava esse que te via dançar. Eternamente preso nesse momento. Nao mais viveu nem desapareceu, continua lá imovel...aguarda o doce beijo que um dia lhe vai quebrar o feitiço...entretato revive esse momento magico que o prendeu. mexe-se agora apenas em sonhos. vive atravez deles, apenas para voltar ao seu encantamento no final. Sem rosto nem vida. apenas um espaço perdido no tempo.

Moonlight disse...

Obrigada Edu
Magico,lindooooooooooo!