quarta-feira, 15 de maio de 2013

Castelos no Ar


                                                    Castelos no Ar – Receita Caseira




Uma pitada de sonhos;
500 gramas de vontade;
Duas colheres de sentir;
Por cada litro de saudade.

Três pacotes de emoção;
Dois decilitros de ternura;
Quilo e meio de ilusão;
A levar, docemente, à fervura.

Desejar, em lume brando;
Mexendo leve, lentamente;
Adicionar-lhe muito encanto;
A temperar, apaixonadamente.

Servir em prato de abundância;
Talher delicado em mesa de sonhar;
Consumir, com evidente preferência,
Antes [bem antes] deste Amor se evaporar.


Castelos no Ar – Receita Caseira
Autor(a) Rodrigo Belavista

4 comentários:

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Um sorriso :)

...e um beijinho :)

A Palavra Mágica disse...

Não, esse amor não se evapora. O amor queima sem se consumir.

Beijos!
Alcides

Secreta disse...

Adorei este poema!
Vou tentar aprender esta receita ;)
beijito.

Lynce disse...

Apesar do meu blogue estar alojado no sapo, também tenho uma conta Google com a qual te sigo! Mas vou colocar o teu link no Sapo!


Um beijinho Moon, uma excelente semana e uma vez mais obrigado!