sexta-feira, 22 de março de 2013

Obliquamente



"Desejamos secretamente, escolhemos obliquamente..... e o amor conduz a um eu dilacerado e misterioso"
                                       Codina






Têm dias que sou Paz....mas têm dias que sou Tempestade....
Fazes de mim um ser estranho, um ser que por vezes desconheço e descubro.
Fazes de mim um querer que que não quero e desprezo....
Fazes de mim um pedaço de tempo distante, que de repente se aproxima velozmente e me entristece, trazendo de novo aquelas amarguradas lembranças e vivências.
Então aí eu torno-me Tempestade,Tornado,Vulcão em momento de erupção....e sinto que meu corpo não aguenta as dores psicológicas a que me obrigas a reviver....
Deixa-me.....estou tão cansada....
Por favor, deixa-me desaparecer do teu caminho e ser Paz novamente.
Deixa-me....deixa-me deitar a cabeça no teu colo e ser afaga por ti um só momento....porque será que disso eu não tenho lembranças algumas...?
Não recordo, nem lembro de momentos doces e ternos.
Penso que perdes-te esses momentos porque estavas amarguradamente viciada em encontrar algo que tinhas e despercebidamente não vias....
Agora...atiras as culpas em cima de mim constantemente fazendo de mim Tempestade que te arrasta para longe...muito longe....
E quando as palavras magoam cá dentro, eu viro Tornado e arrasto com palavras tudo aquilo que poderia ser amor. E deixo-te...
Renascem em mim fúrias passadas....iras que á tanto tempo eu luto para que desapareçam.
E no fim confirmo com palavras tuas, tudo aquilo que ao longo dos anos eu vim descobrindo....podes gostar de mim...mas não me amas....porque para ti, eu não sou a filha que gostarias de ter....Eu sou Obliquamente aquilo que desejas-te....

10 comentários:

Secreta disse...

Nem sei que dizer...será possivel não existir esse amor?!
Custa-me aceitá-lo...
Beijito.

ana costa disse...

amargo e pesado fardo esse...
mas infelizmente não somos aquilo que os outros sonham, mas sim aquilo que conseguimos ser...
Um beijo

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Querida Amiga

Como se faz quando somos obliquos?
É preciso amar o vento e conhecer o gosto da chuva e perdoar aos elemntos por nos terem ferido o rosto...

E do coraçao brotará mais amor e menos magoa, ate sermos totais e sorindo...

um beijinho enorme

Daniel Aladiah disse...

Querida Moonlight
Se de pai falas...
Por que são as relações humanas, de quem se ama, tão difíceis... às vezes...
Beijo
Daniel

Secreta disse...

Vim deixar um beijito...

ONG ALERTA disse...

Todos somos assim....ninguém nasceu com equilíbrio....
Beijo Lisette.

Fê Blue bird disse...

Querida amiga, perdoar é traçar um caminho recto e libertas-te dessa dor.
Desculpa a minha ausência num cantinho tão especial para mim, não tenho andado bem e acabo por ser injusta para os amigos.
O meu blogue "Sonhos de Menina" chegou ao fim, mas podes sempre visitar-me no "Só te peço 5 minutos".
Obrigada por estares sempre presente.

beijinho

Lu Nogfer disse...

Amiga querida,

Certamente o tempo passa e a amargura esvai-se...

Senti saudades daqui mas estou de volta!

Beijos com carinho.

Secreta disse...

Vim deixar um beijito, e desejar-te... que este seja um dia de Paz!

Isa disse...

O amor traz tanta mágoa...
Será amor?