segunda-feira, 28 de maio de 2012

Ausencia


Apetece-me ausentar.
Olhei a água, fria , misteriosa e parada, do pequeno lago.
O que lá vi...?O reflexo de mim.
Vi ausência
Do principio ao fim.
Não sei o que me trouxe aqui.
Se este corpo cansado, alguma corda desamarrada ou algum ramo cheio de espinhos.
Não sei...
Apenas sinto este negro sombrio que me invade e percorre o mais intimo de mim
Que me deixa esta vontade imensa de ausencia.
Ausentar-me de mim....
Deixar-me partir
Deixar-me adormecer aqui
Perdida e afundada
Quero apenas ausentar-me de mim!

5 comentários:

LORENA LEITTE disse...

Quero apenas ausentar-me de mim!
essa frase diz muito. tudo intenso e profundo ,sempre gosto de ler seus poemas e poesias.
se puder me visita http://lorenaleitte.blogspot.com.br/
abraços

Secreta disse...

Conheço tao bem esse querer! E sei, o quanto é dificil lutar contra ele.
Um beijito.

Luar disse...

Fases em que a ausência se sobrepõe à nossa presença. Por vezes sabe bem, desde que não seja em excesso.
Beijinho

Sonhadora disse...

Minha querida

Como eu sei do que falas...é uma ausência que doi fundo dentro de nós e faz o sol escurecer.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

oteudoceolhar disse...

...
Por vezes temos mesmo que nos ausentar-mos de nós próprios para alcançar o Eu.
Custa...?
Muito...mas depois não custa tanto se apenas nos conseguirmos voltar a olhar.

Beijo n´oteudoceolhar *