terça-feira, 10 de abril de 2012

O quarto


Levei a mão á maçaneta e entrei,num momento de distração de todos.
Já lá tinha estado antes.Muitas poucas vezes...depois de o ter abandonado,de o ter deixado despido de mim...nunca mais o reconheci.
Por vezes tenho uma sensaçaõ animalesca,o cheiro.O cheiro daquele quarto já nao era o mesmo,já não era o meu e rapidamente foi preenchido de coisas e objectos completamente estranhos a mim.
Já não era o meu quarto.
Nunca mais o foi.
Mas agora despedido novamente apesar de o cheiro não ser o meu,
reconheci-o um pouco...
Fechei a porta nas minhas costas.A luz que por ele entrava era fosca e num momento de apenas alguns segundos olhei em volta e tanto veio ao meu pensamento.
Um quarto,um simples quarto...mais de mil sensações diferentes.
Houve fantasmas que enclodiram de dentro de mim e me arrepiaram ao lembrar coisas menos boas que nele se passaram.
Houve um tempo,num tempo distante que aquele quarto foi a unica divisão daquele casa que nos protegia de todo o mal.
Houve porêm tempos bons e memoraveis.
Serenatas á janela....brincadeiras de carnaval....beijos roubados.
São desses momentos que eu gosto de recordar,os bons momentos.
Os maus eu deixo apenas passarem por mim e desaparecerem.
Mas...já não é mais o meu quarto.
Passei a mão pelas parteleiras da estante vazia...e abandonei-o uma vez mais...
Fechei a porta e com ele deixei fechadas as memorias de outros tempos distantes que deixei de precisar.
E eu...esquecida daquele momento breve, fechei a porta e voltei ao meu lugar.

8 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida

Por vezes é bom enfrentar os nossos fantasmas e voltar ás raízes do nosso eu mais profundo e depois fechar a porta para poder seguir em frente.


Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

Jacarée e Baby disse...

Minha querida Amiga!

Momentos memoráves... ou nem tanto!A vida é complexa, talvez nem tudo deva durar para sempre,porque as regras passam rapidamente e o mais importante e compreender e aprender a evoluir...O sofrimento ninguém o pode tirar,apenas serve para mostrar o caminho da mudança e esperança.
E bom lembrar os momentos mais memoráves, das grandes emoções, do flerte, das primeiras brincadeiras... o amor, é gigante na sua dualidade não se consegue livrar dele com fecilidade.
Beijos doces em seu lindo coração.















































































































para além de fechar a porta

Impossible-not-fall disse...

As vezes é bom recuar e abrir portas, sentir o cheiro e a magia que ali aconteceu....

é bom fechar os olhos e aquelas imagens onde fomos felizes estejam em redor da nossa mente!!! Abrimos um sorriso...

Mas no minuto seguinte os olhos abrem-se e a magia, os cheiros e o momentos ficaram apenas na nossa mente...

é hora de agarrar a maçaneta, bater e porta virar costas e seguir em frente!!!

Agora renovada de esperança que tudo vai mudar, e com ele o sorriso voltar...

Beijinho minha querida, que tudo volte!!!

Daniel Silva (Lobinho) disse...

As recordações nefastas ou dolorosas devemos deixa´-als lá atrás, encerradas com maçanetas e trancas perdidas no tempo e que apenas nos ajudam a nao reviver os mesmos erros, se for o caso; as recordações boas devem ser revisitadas sempre, e aquelas que se encontram entre uma coisa e ourtra, devem ser revsistadas assim, ao jeito deste post, entrando mas saindo de novo, retirando o que delas temos de bom e nao deixando que o resto menos bom se transporte ao presente...

Ainda nao morremos e viver é agora!
Um beijinho sempre querido, amiga!

Luar disse...

Vim agradecer a visita!
Entrei e adorei. O denominador comum " a lua " .
Todos temos um espaço onde guardamos os fantasmas da tristeza e a as recordações da felicidade. Seja um quarto ou uma sala. Quando se fechar a porta importante é não olhar para trás.
Beijo de Luar

oteudoceolhar disse...

"São desses momentos que eu gosto de recordar,os bons momentos".

E fiquemos então com a memória dos bons momentos, esperando porém que eles voltem, seja sob que forma forem. Continuemos a sonhar, sonhar faz bem...

Beijo n´oteudoceolhar Caranguejita *

Secreta disse...

Há momentos que nunca esquecemos...contudo, há também portas que precisam ser fechadas , para que outras possam ser abertas.
Um beijito.

Angel disse...

Ao mesmotempo que fantástico... é triste: passei pela mesma sensação há bem pouco tempo.
O quarto estava diferente... as paredes, as janelas, a cor... eram iguais! Mais nada!
O vazio de cheiros de outrora, que me fizeram sonhar enquanto criança, o lugar onde ficava a cama onde todas as noites me deitava, o sítio onde estudava, um leve restício de alguns autocolantes inconscientemente colados numa ou noutra parede...
E a consci~encia de que o tempo se foi, o quarto, a casa e as pessoas se foram e que eu, apenas eu, que também parti voltei só para me despedir!

um anjo