segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Sonho vs Realidade




Avisto-te ao longe....sempre sem conseguir vislumbrar a tua cara.
Estou a correr pelos campos verdes que nos separam, vou a correr para ir ao teu encontro.
Ainda estás lá.
Entretanto tu, tambem reparas em mim...sorris e começamos ambos a correr.
Tu agarras-me eu agarro-te. Abraçamo-nos...,elevas-me...,fazes-me rodopiar em teus braços sempre a beijarmo-nos.
Acabamos por cair em cima das ervas, que ainda estão molhadas do orvalho da manhã, ainda agarrados.
Beijas-me, dizes-me " Nunca te vou largar, nunca, nunca, nunca. "
Eu sorrio e respondo-te " Amo-te ", nada me dizes, apenas beijas-me.
Passado um tempo, estou num sitio diferente, no meio de uma estrada deserta.
A paisagem faz-me lembrar um deserto árido,  não existe nenhum sinal de vida para além de mim e de ti.
Estamos molhados não sei porquê, pareçe que tinhamos passado por chuva.
Olho para ti, estás a uns  metros de mim e grito o teu nome.
O meu tom de voz arrepia-me, penso... para onde terá ido o tom de voz meigo que eu tinha  no campo....
Grito novamente o teu nome quando tu te tentas aproximar de mim eu acrescento " Sai da minha vida, sai. Estou farta, estou farta de ti. Farta da tua cara, farta da tua voz, farta do teu corpo, farta do teu toque, farta dos teus abraços, farta dos teus beijos! "
Aparecem lágrimas na minha cara e tento manter o equilibrio para não cair no chão.
Começo novamente a gritar " Tu não consegues nem imaginar o que sinto, estou tão cansada..." - a raiva inunda-se na minha voz - " Por favor, não me sigas que eu não aguento mais... "
Agora já vejo teu rosto familiar.
Agora sei quem és.
O sentir não é jamais o mesmo.A presença que sentia era diferente.Não eras tu.
  Pareceu-me uma verdade, estavas com um tom de voz triste, deste um passo e comecas-te a correr na minha direcção, quando me ias abraçar agarrei-te os pulsos, olhei-te nos olhos e com toda a coragem,cheia de valentia disse-te " Não te quero mais ", é então que percebo que não é uma mentira, estou mesmo certa do que quero dizer, largo-te os pulsos e deixo-te cair de joelhos no chão.
Começo a andar, virando-te as costas e vês-me desaparecer.
Fico sozinha, fico novamente sozinha,caminhando naquela estrada no meio do nada.Á minha frente,lá longe avisto um tom verde,á medida que caminho vejo que é um campo...corro começo a correr...sinto que ainda te vou reencontrar novamente.A ti....a quem não consigo ver o rosto,mas sinto tua presença....

Acordo....
Suada e cansada....Abro os olhos e constato que estás a meu lado....E eu...como sempre nunca chego, a chegar a lugar algum....
Fecho os olhos,respiro fundo e sinto apenas a  presença dentro de mim mesma....

3 comentários:

Moi disse...

Gostei!
Sonho ou realidade... tantas vezes se cruzam, tantas vezes se diluem uma na outra...


Que os teus sonhos se transformem em realidade, e que esta seja um verdadeiro sonho!




Beijinhos
Já tinha saudades de te ler... ai o tempo que às vezes parece inimigo da gente!

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Denso... Gostei.

Um beijinho amigo

A Palavra Mágica disse...

Moonlight,

Esse rosto que nunca se mostra,porque não diz a que vem?

Beijos!
Alcides