Historia XI



Fim de Festas.
Novo Ano.
Todos os anos por esta altura Catarina sente sempre uma necessidade de respirar fundo deixar entrar um sopro divino  e....fazer um balanço...
A casa esvazia-se....arrumasse os restos das festas,organiza-se tudo novamente e por fim fica a sós consigo mesma.
Abre a porta e saí com destino ja marcado.
Todos os anos faz o mesmo ritual consigo mesma.Na solidão da serra e no som do silêncio que por lá se escuta.
Passa para lá das arvores altas e inclinadas que a convidam a entrar na pequena clareira,onde chega a um pequeno lago.Apanha uma pequena pedra e atira-a á agua.Caminha até a borda,descalça-se e deixa que a agua a  molhe até aos  tornozelos."Está fria...faz-me arrepiar...Ao mesmo tempo a frescura ao banhar-lhe, os pés cansados da jornada que têm vindo a atravessar, á tanto tempo,alivia-a das dores da alma...
Sente-se bem disposta. Com um pé atira agua para cima de uma rã que está do outro lado,e dá uma gargalhada ao ouvi-la coaxar e saltar para o pequeno lago.
Respira fundo... o ar fresco da manhã, o cheiro da terrae do arvoredo.Deixa que todo aquele ar purifique-a por dentro..."Gosto daqui...deste ar...desta maneira de ver o mundo...Gosto daqui...de onde ninguêm me consegue encontrar...o meu esconderijo."
Este ano foi diferente para Catarina....não foi especial...nem pleno em acontecimentos...ouve tristeza e alegria como em todos os outros.
Este ano que passou,ela propia conheceu uma Mulher dentro dela, que ela não conhecia e que se reflecte no seu espelho ,vive na sua casa,come na mesma mesa e dorme na sua cama...
Por vezes olha-a com desconfiança... sente que ainda a está a conhecer,a habituar-se á sua presença.
Com ela aprendeu coisas boas e outras nem por isso.
Com ela aprendeu a chorar menos,quando está só.
A compreender melhor os seus defeitos e aceita-los.
Aprendeu a valorizar muito mais as suas qualidades.
Apesar de não gostar muito,aceitou, aceitar as derrotas com a cabeça erguida porêm nunca esquecer de olhar o horizonte com optimismo sempre....mas sempre!
Porêm houve algo que essa Mulher ainda não conseguiu dominar ou domar em Catarina,a sua rebeldia.O seu instinto selvagem e rebelde.Catarina jamais deixará essas qualidades/defeitos desaparecerem de dentro de si,essa é a forma mais pura de o ser.
Em contrapartida já aprendeu que nada muda se não quiser,que não vale a pena fazer planos para a vida para não estragar os planos que a vida têm para ela.
Ganhou consciencia que o Amor é dôr...então de que vale a pena Amar...
Por vezes tem uma enorme vontade de gritar e esbofetear aquela Mulher que veio se acomodar na sua vida.E que mesmo com toda a sua rebeldia não a consegue mover dali para fora.Por vezes têm vontade de a fazer desaparecer....
Sabe que não há vencedores ou vencidos....que cada um faz o que têm a fazer,escolhe o seu caminho e nunca com o intuito de magoar ninguêm.
Gelou.
Abandona a clareira e despedesse da natureza para voltar á realidade do seu dia a dia no novo ano que não sabe ainda,nem quer sabe,r aquilo que lhe trará.
Em sua cabeça apenas e só uma certeza;"Everyday is a gift,that´s why they call it,The Present!"



Comentários

Fê-blue bird disse…
Minha querida a "isto" se chama crescimento.
Adorei ver a forma linda como descreveste este caminho da Catarina.
Um verdadeira lição de vida, LINDO!


beijinhos e BOM ANO!
Amiga Moonlight,

Essa mulher ainda vai ensinar muito a Catarina. E aprender muito com ela também.

Lindo!

Beijos!
Alcides
Edu disse…
Continuas a escrever maravilhosamente.nao pares
Isa disse…
Cada vez melhor...
Bjs. e um Bom Ano de 2012.

Mensagens populares