quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Sem chegar a partir....


A pressão das pessoas que gostam de nós pode ser um fardo pesado de carregar nos ombros.
Mas elas não fazem por mal....
Mas ás vezes....
Sufoca...
Cansa....
Pesa....
Exigem demasiado...
Muitas vezes sinto que a fasquia é alta demais....

Não sei te dizer,se um dia volto.........

15 comentários:

BlueShell disse...

Lindo demais...e tão real; mas é: elas não fazem por mal...não mesmo! Bj

Impossible-not-fall disse...

Certamente vais voltar....

Porque nós somos exactamente igual aos outros elevamos por de mais a fasquia....


Beijo, bom fim-de-semana

Secreta disse...

Creio que estamos nalgum tipo de sintonia de sentires...não é?
Deixo um beijito!

A.S. disse...

O que tiver que acontecer, acontecerá no tempo certo!!!


Beijos,
AL

Nanga disse...

Tenho que concordar com Al e aproveito para te seguir!

Cheiros de primavera para ti!

Nanga

Fê-blue bird disse...

Amiga querida tudo tem um tempo certo e às vezes é tempo de partir....LINDÍSSIMA reflexão.

beijinhos

A Palavra Mágica disse...

Amiga Moonlight,

Por estas pessoas gostarem de nós e nós gostarmos delas é que o fardo pesa ainda mais. Mas elas não fazem por mal, como você disse. Talvez seja porque não entendam certas particularidades nossas.

Um beijo !
Alcides

Lynce disse...

Dá-me um abraço...

Moi disse...

Às vezes a fasquia das expectativas sobre nós é realmente alta demais... e pesa, sufoca... mas o tempo ensina-nos o caminho certo, no tempo certo... e se tiveres que voltar, voltas.


Beijinhos :)

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Gostei da forma como termina... mas ha sempre que apostar ;)

beijinho imenso

Sonhadora disse...

Minha querida

Quanta verdade nas tuas palavras...por vezes o peso é realmente demasiado.

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

Eva Gonçalves disse...

Não é intenção de quem ama, sobrecarregar... mas acaba fazendo. Volta... se tiveres vontade de voltar :) beijinho

Pensador disse...

E, infelizmente, é difícil fazermos autocrítica honesta a respeito desta pressão.
Seria, sim, o caso de sempre nos questionarmos. Ou, ao menos, de poder existir um diálogo franco que permita um queixar-se da pressão ao outro, sem que isto começasse novas brigas.
Um beijo, e um uivo!

BlueShell disse...

Voltei para saber de ti...

maria teresa disse...

A decisão do regresso ou não regresso tem que partir de si!
Desanimar-se é humano...
Abracinho meu