quarta-feira, 21 de abril de 2010

Instantes de felicidade



"Chegaste. Eu não te esperava. Contigo trouxeste a ternura, o desejo e, mais tarde, o medo. Chegaste e eu não conhecia essa ternura, esse desejo. Em casa, no meu quarto, neste quarto, revi os teus olhos na memória, a ternura, o desejo. E, depois, aquilo que eu sabia, o medo. E passou tempo. Eu e tu sentimos esse tempo a passar mas, quando nos encontrámos de novo, soubemos que não nos tínhamos separado"


                                                                                   José Luís Peixoto - Antídoto

13 comentários:

BlueAngel disse...

Existe tanta verdade nos textos de José Luis Peixoto...
Beijos

Laura disse...

Verdade, verdadinha. Por vezes, mais anos que passem, nunca chegamos a separar-nos verdadeiramente porque; a nossa alma ficou presa noutra e...continuam a existir através dessa ligação.
Um abraço da laura

Lu Nogfer disse...

A volta, sempre traz com ela a ternura,o desejo e o medo!O reencontro e a certeza dessa uniao quase eterna!

Beijos,querida amiga!

Boa noite!

Unknown Artist disse...

Bonito de se ler :)

A. Reiffer disse...

Belíssimo o teu blog. Parabéns!

Isa disse...

Estamos sempre à espera desses instantes...

Isa

maria teresa disse...

As palavras não são suas, mas espero que as tenha "sentido" como suas, como eu as senti ...
Abracinho

Fê-blue bird disse...

O afastamento físico não afasta os sentimentos.
Um profundo texto de L.Peixoto.
Parabéns pela escolha!
beijinhos

sonho disse...

São esses instantes que nos alimentam a alma...
Beijo d'anjo

lynce disse...

Apesar de, como sabes, não ser um gajo muito dado a romantismos,gostei do texto.
:)))

Bia Maia disse...

Sejamos mais fortes que o MEDO, e vamos viver o AMOR!!
Não há nada MELHOR DO QUE VIVER O AMOOOORRR!!!!

beijos com carinho e coragem!!

Bia

BC disse...

E eu também cheguei agora por aqui, sem pressas, com muita coisa na cabeça em desalinho, por isso o afastamento.
Há tempos em que precisamos de tempo para nós para a família, é preciso parar.
Mas o parar é relativo ainda andamos mais rápido é outra forma de andar, menos sorridente com menos estrelas...!!! os pés mais na realidade que por vezes é dorida.
Beijinhos

Laura disse...

Por vezes ama-se de longe
ama-se com paixão incontida
desejos mil
e quando nos encontramos
o tempo recua
e avançamos
caminhamos de mãos dadas
sob o olhar da lua!...

Beijinho da laura e bigada pelo miminho.