quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Apanha-me se puderes!


Hoje sou pena de passaro,que voa da tua mão com o vento.
Hoje sou teu cristal bonito, que se quebra no chão.
Hoje sou sonho, que não consegues lembrar.
Hoje sou vaga de mar,que te sacode do lugar.
Hoje sou poema desfeito, que um dia te entrou no peito.
Hoje sou chuva forte, que te molha e te esfria a alma.
Hoje sou nuvem negra,que assombra este teu céu.
Hoje serei aquilo que desejas e não consegues alcançar.
Hoje serei Eu correndo frenéticamente...
Afastando-me de ti....
Apanha-me se puderes!

7 comentários:

Edu disse...

Bem amiga, essa a a unica forma de usar a palavra pena, que me soa bem.
Tas maravilha...Gosto mais assim
bejinho

Vento disse...

E perante essas palavras, é urgente que se tome essa decisão rápidamente, sob pena de perder alguém que nunca mais se volta a encontrar.

Até porque não ninguém igual a ti...

Beijo

Luz disse...

Se neste momento exprimisse o que sinto, creio que o sentir seria muito semelhante ou, igual.
Posso dizer que sinto todas estas palavras, mas direi quanto mais tento aproximar-me, também sinto que se calhar devo afastar-me..., porque não pode ser apenas um a lutar ou, sempre o mesmo a lutar quando o outro, ora vem, ora parte sem partir, mas esta indefinição, esta indecisão, não...

Obrigada pelas palavras deixadas num dos meus espaços, gostei muito.
Aqui o sentir também é muito forte, bonito e intenso, gosto.

Bjnho cheio de Luz


P.S.-Uma pergunta, não tem a aplicação seguidores?
É que não consigo visualizar, apenas diz as minhas luas e, eu ia seguir, mas não aparece...

Pensador disse...

Do pássaro que se foi,
Restou a pena que o vento rouba
Do cristal que caiu,
Restaram cacos que, sem cuidado,
Podem machucar
Do sonho esquecido,
Restou a lembrança de algo a procurar
Da onda do mar,
Restou a recordação de sua força
Do poema desfeito,
Restam as lágrimas que ardem no peito
Da chuva forte,
Da nuvem negra,
Do inalcansável,
Resta a esperança
Da doce garoa,
Da nuvem de algodão
E do sonho realizado.

Um beijo, e um uivo!

Anjo azul disse...

Se fosses pássaro na minha mão
Não deixaria o vento te levar
Se fosses cristal. Eu queria ser o chão
Para em meus braços te amparar

Se fosses sonho,vaga de mar
Ou mesmo um poema desfeito
Eu te pedia para dançar
Sobre as ondas do teu peito

Parabéns, Lindo poema
Bom fim de semana
Bjs
AnjoAzul

A Palavra Mágica disse...

Moonlight,

Quando o coração quer ir embora, ninguém segura. Ninguém mesmo.

Beijos!
Alcides

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Muitíssimo bem concebido e imaginado. O final podia ser qualquer um que o resto estava sempre imutável.

beijinhos amigos