quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Nesse mar...



Neste mar onde habito,vejo-te que cansada deixas de lutar para te desprenderes desses limos viscosos,dessas cordas velhas que te amarram no fundo deste mar,onde te banhas-te um dia.
É tarde demais,já não vês aquela luz ao cimo,que te dava forças para combater todo esse cansaço.
Amarram-te fortemente para viver uma vida de mentira.São risos desmedidos,castelos não construídos,fantasias apenas vividas num aparte de vós.E assim vivem solitários e silenciosamente infelizes.
Não há nada que te faça lutar,ele sabe que te iras cansar.
Permaneces inerte,longe de ti,respiras agua salgada,para ficares adormecida de uma realidade que queres esquecer.
Permaneces assim como que vagueando,nessa vida onde já não sabes o que é o Amor.
Enrolada nesses limos,olhas-me nos olhos,como se de ajuda precisasses....e cansada desistes de bracejar...abraças-te a ti mesma enquanto sentes no corpo,esse corpo pequenino,com cheiro a bebé onde encontras teu porto de abrigo e sentes aquele Amor incondicional que chama por ti.E desmedidamente esqueces-te de quem fostes e acreditas no que és,entregas-te a esse Amor,sem hesitar,sem bracejar...apenas a nadar nesse mar.


2 comentários:

Patrícia Silva disse...

"...esqueces-te de quem fostes e acreditas no que és..."
É assim que tem de ser...

Edu disse...

Pois ta mal. Sem medo . sem medo o que resta?
nada.
tem de haver medo, sem medo é pk já nao interessa nada. só se tem medo se houver esperança, sem ela nao adianta amar.
Ama mas com medo , muito medo de perder o k já tens e keres um dia vir a ter.
O medo é essencial ao amor, a vida , a tudo.