sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Fazes-me falta....




...que interessa se me fazes falta....tudo o que fomos não passou de um instante...dum momento perdido com o tempo em que tu já nem te lembras.
Neste mundo virtual,tudo passa,tudo desvanece, dum momento para o outro.
Somos apenas maquinas,melhor,deveríamos ser apenas maquinas,não sentirmos,não nos envolvermos,não nos encontrarmos,nem sequer sermos nós próprios como fui.
Devaneios de alguém que sonhou,que o sonho se tornou realidade,que um dia teria partilhado algo sincero com outro alguém semelhante.Será?Serias mesmo tu?
Pois aqui podemos ser tudo,sermos bailarinas de ballet,podemos ser astraunautas e quem sabe até sermos nós próprios sem sabermos.Podemos ser Anas,Marias,Migueis,Pedros enfim o que quisermos ser
o importante é nunca deixarmos saberem quem somos.
Depois perco-me na tua busca,fecho os olhos e imagino-te,melhor lembro-te porque existis-te em mim e ainda existes,fui quem sou e dei-me por vencida.É como num jogo,que jogamos,umas vezes ganhamos outras perdemos e ainda existe aqueles que pensam que os outros tem o jogo na mão e desistem...dão-se por vencidos.
Tive medo de apostar,quando não soube se era para apostar,quando o teu silencio me parou o pensamento e não tive forças para continuar-Eu não podia continuar,tive medo de me dissessem que perdera no jogo....Não quis arriscar.
Já não sabia o que era jogar á tanto tempo,que perdi a pratica do mesmo.
Porque me lancei ao jogo?
Porque esqueci as regras?
Porque não deitei ao mar as chaves que fechei o meu coração á tanto tempo?Porque permiti,abri-lo novamente,se já estava tão sossegado e adormecido.
Desta vez,tranco-o!
Mas caminho pela ponte que me conduz,bem ao fundo do mar,para lá deitar as chaves,pra nunca mais as encontrar....

1 comentário:

Edu disse...

NAo deites. que alguem arromba a porta.
Quer queira squer nao.
Quanto a resposta, nao existe nenhuma infalivel. A unica coisa que tens de fazer é cntinuar a dizer as perguntas. Pois se não as fizeres , nunca teras resposta.